13:25 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    USP

    Professores em greve da USP dão 'aulas secretas' para não prejudicar cursos

    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Notícias
    URL curta
    733531

    Sem aulas desde 12 de maio, devido à greve dos professores e à ocupação de estudantes, várias universidades de São Paulo estão adotando estratégias criativas para que os cursos não sejam totalmente prejudicados. Vários alunos de alguns cursos da Universidade de São Paulo (USP) têm aulas em locais inusitados como nos restaurantes do campus.

    É o caso da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, curso que tem 840 vagas e mais de 20 especializações e têm driblado a paralisação com professores ministrando aulas em bibliotecas, auditórios e outras instalações. A manobra, porém, tem acirrado o clima de tensão entre alunos favoráveis à paralisação total e os que não abrem mão de continuar o curso. Há vários incidentes de confrontos entre as duas partes, embora até o momento a polícia ainda não tenha sido obrigada a intervir para apaziguar os ânimos. 

    Embora reconhecendo o direito à greve e às reivindicações, o diretor da Faculdade de Filosofia, Sergio Adorno, se mostra preocupado com o clima de apelo à violência. Os estudantes apoiam a paralisação dos professores e reivindicam o cumprimento da lei de cotas nos cursos e a contratação de profissionais de ensino. As mesmas reivindicações têm sido defendidas em outras universidades que têm registrado paralisação de cursos, como a Unicamp e a Unesp.

    A Sputnik tentou, sem sucesso, contato com o diretor Sergio Adorno.

    Mais:

    Conheça o ranking das 300 melhores universidades latino-americanas
    'Rede de Universidades dos BRICS deve ter padrão original de pesquisas'
    Tags:
    contratação, salário, alunos, professores, greve, Unicamp, USP, São Paulo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik