10:45 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Ubes 2

    Estudantes secundaristas engrossam manifestações em todo o país

    Tânia Rêgo/Agência Brasil
    Notícias
    URL curta
    743
    Nos siga no

    As manifestações que acontecem nesta sexta-feira, 10, em várias capitais do Brasil e em grandes cidades do interior atraem milhares de participantes em caravanas de protesto contra as medidas anunciadas pelo governo do presidente em exercício Michel Temer que implicam em redução de direitos conquistados pelos trabalhadores nos últimos anos.

    Com slogans de "#Fora Temer" e "Vem para a Rua", os manifestantes protestam contra as propostas de Reforma da Previdência, extinção de ministérios da área social, redução de recursos para as áreas de saúde e educação e criminalização dos movimentos sociais.

    Em São Paulo, assim como em outras capitais, estudantes secundaristas engrossam as manifestações ao lado de sindicatos e diversos movimentos sociais. Em entrevista à Sputnik, a presidente da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES), Camila Lanes, resume os objetivos das manifestações estudantis nesta sexta-feira:

    "O movimento de hoje, não só em São Paulo como em todo o país, é o ápice de um movimento que começou há seis meses dentro e fora das escolas. Estamos reivindicando a revisão de uma série de medidas anunciadas pelo novo governo, como a extinção do Fórum Nacional de Educação, as tentativas do novo Ministério da Educação de privatizar o ensino público no país, as modificações nas grades, feitas de modo arbitrário de cima para baixo, sem consulta a estudantes, professores e sociedade, bem como os diversos tipos de censura que estão tentando impor aos grêmios estudantis e aos próprios professores. Hoje já são mais de 250 escolas ocupadas em todo o país."

    Mais:

    Ministro da Educação garante não alterar nenhuma política de cotas
    Estudantes ocupam mais escolas do Rio por melhorias na educação
    Tags:
    educação, escolas ocupadas, protestos, estudantes, UBES, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar