17:00 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Ex-Ministro do Planejamento Romero Jucá

    Presidente do PSOL: Impeachment foi salvo-conduto para abafar Lava Jato

    Notícias
    URL curta
    2131

    O PSOL – Partido Socialismo e Liberdade entregou ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, uma representação contra o Senador Romero Jucá (PMDB-RR), solicitando a sua prisão por obstrução à Justiça.

    Falando à Sputnik Brasil, o presidente nacional do PSOL, Luiz Araújo, professor da Universidade Nacional de Brasília, esclarece que o pedido se baseia na publicação pelo jornal “Folha de S. Paulo” (edição de segunda-feira, 23) da transcrição da conversa mantida entre Romero Jucá e o ex-presidente da Transpetro e ex-líder do PSDB no Senado, Sérgio Machado, em que o parlamentar aborda a possibilidade de paralisar a Operação Lava Jato.

    Romero Jucá e vários outros parlamentares, além do próprio Sérgio Machado, estão sendo investigados na Lava Jato, operação conduzida pelo Ministério Público Federal de Curitiba e pelo Juiz Sérgio Moro, da 13.ª Vara Federal Criminal da capital do Estado do Paraná.

    Nas palavras de Luiz Araújo, “a leitura da conversa mantida entre Sérgio Machado e Romero Jucá não deixa dúvidas de que o senador quis interferir no andamento das investigações judiciais e policiais”, estas últimas realizadas pela Polícia Federal.

    “As gravações que foram dadas ao conhecimento da população, pela imprensa, mostram claramente uma tentativa de obstrução da Justiça, caso similar ao que levou à prisão e à perda do mandato do Senador Delcídio do Amaral. O agravante é que Romero Jucá contou claramente que isso não foi um gesto individual, mas uma articulação política para se utilizar do impeachment para conseguir um salvo-conduto na tentativa de abafar uma investigação no caso da Operação Lava Jato.”

    Luiz Araújo acrescenta:

    “Tirar Jucá do Ministério do Planejamento é muito pouco para os indícios de crime que foram identificados nas gravações. Entramos com o pedido para que a Procuradoria peça ao Supremo Tribunal o mesmo que pediu em relação ao Senador Delcídio.”

    Jucá vai se licenciar do cargo de ministro do Planejamento.
    Antônio Cruz/Agência Brasil

    O presidente do PSOL enfatiza que seu partido quer do STF que Jucá seja preso, “por obstrução da Justiça, que foi o mesmo caso do Delcídio. Não se pode deixar alguém que tem poder para tentar obstruir, que o faça. Não há provas, mas há indícios de tentativa, e o STF deve cuidar para que a obstrução não aconteça”.

    “Talvez com a delação premiada de Sérgio Machado nós saibamos mais do que o diálogo dessa gravação, mas ficou evidente nessa gravação que a adesão tão entusiasta do Senador Romero Jucá ao processo de impeachment estava vinculada ao que nós estamos chamando de tentativa de salvo-conduto. Uma espécie de troca: facilita-se a retirada da Presidente Dilma do poder mas as investigações precisam cessar, contra as principais figuras do PMDB investigadas e citadas várias vezes na Operação Lava-Jato.”

    Mais:

    Congresso Nacional discute revisão da meta fiscal de R$170 bi defendida por Temer e Jucá
    Jucá será afastado do Governo Temer na terça-feira
    Tags:
    golpe de Estado, obstrução, justiça, gravação, impeachment, delação premiada, Ministério do Planejamento, STF, Folha de S. Paulo, PSOL, Delcídio do Amaral, Sérgio Machado, Romero Jucá, Paraná, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik