19:16 21 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Corrupção
    Valter Campanato/Agência Brasil

    Especialista aponta pressão maior para conduta ética de empresas no Brasil

    Notícias
    URL curta
    111

    Como recuperar junto ao público e ao próprio mercado a imagem e credibilidade de empresas envolvidas em escândalos de corrupção é um dos temas principais que começaram a ser discutidos nesta terça-feira, 17 em São Paulo durante o 19ºCongresso Brasileiro de Comunicação Corporativa.

    O tema, sempre em voga, ganha atenção e participação especial este ano, após a onda de casos de corrupção tornados públicos com operações como a Lava Jato que investiga operações ilícitas entre empresas privadas e esferas de governo via contribuições partidárias, evasão de divisas, caixa 2, entre outras.

    Para  a professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (ESPM-SP) Denilde Holzhacker, a realização de debates como este que acontece na capital paulista é importante não só para empresas e consumidores, como para o próprio país.

    “E não só para o Brasil. É uma preocupação cada vez  da sociedade hoje saber como as empresas seguem parâmetros de responsabilidade social, em transparência, compras,  relações com os governos, mas também com o meio ambiente e no respeito aos direitos humanos.”

    Apesar do acréscimo das denúncias que chegam ao público, a especialista da ESPM-SP diz não conseguir precisar se houve um aumento dos casos de corrupção no Brasil ou se há hoje um maior grau de transparência e investigações.

    “O fato é que há pressão maior para que as empresas tenham mais transparência e também porque o Brasil assinou acordos internacionais e isso resultou em ações mais efetivas dos órgãos de fiscalização dos governos. As investigações também estão indo até o limite com a prisão de executivos, a aplicação de grandes multas para as empresas ressarcirem o dinheiro público.”

    Denilde vê no aumento de denúncias e investigações um somatório de vários fatores desde mudança cultural, passando pela pressão internacional, por um papel mais ativo do Judiciário e por  mudanças de políticas internas nas corporações que têm levado a mudanças nesse perfil.

    “O discurso no meio empresarial tem sido o de adotar políticas cada vez mais éticas. O país tem que mudar, e as relações entre empresas e governos têm que ser as mais transparentes possíveis. Temos que torcer para que esse seja um processo que continue e seja ampliado também para outras áreas, como a ambiental, por exemplo.” 

    Mais:

    Ex-delegado da PF que investigou corrupção no Brasil recebe asilo na Suíça
    Deputada que votou 'contra a corrupção' recebe visita da PF em casa
    Tags:
    empresas, governo, investigação, corrupção, Ministério Público Federal, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik