15:53 27 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Notícias
    URL curta
    14453
    Nos siga no

    A informação divulgada nesta sexta-feira, 13, pelo site WikiLeaks, de que o presidente Michel Temer fornecia informações políticas sobre o cenário brasileiro para o Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos continua repercutindo no Brasil.

    Segundo o site, em janeiro e junho de 2006, Temer, na qualidade de líder do PMDB, transmitia seus pontos de vista sobre a unidade do partido e as próximas eleições presidenciais a órgãos de inteligência americanos. Sob a rubrica "sensível", as informações foram enviadas ao Comando Sul dos EUA em Miami e ao Conselho Nacional de Segurança dos EUA, entre outros destinatários.

    Para o presidente da Associação Brasileira de Direito Internacional, Wagner Menezes, informações como as prestadas por Temer são algo comum nas relações intergovernamentais.

    "Essa é uma prática rotineira, quando governos consultam lideranças de outros países. Não vejo qualquer tipo de entreguismo, vazamento político sensível ou risco à soberania nacional."

    Já para o secretário estadual da Juventude do Partido dos Trabalhadores (PT) em São Paulo, Erik Bouzan, a divulgação da colaboração de Temer com o Conselho de Segurança Nacional dos EUA  traz uma preocupação maior para o PT, na medida em que reforça a hipótese de participação do governo americano em ajudar a desestabilizar o cenário político do Brasil.

    "Já dava para imaginar algo parecido. O papel agora é denunciar esse fato à sociedade e cobrar explicações de Temer", diz Bouzan.

    Para João Claudio Pitillo, pesquisador do Núcleo das Américas da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), “a denúncia é muito grave”. Segundo Pitillo, “não é a primeira vez que o WikiLeaks acusa autoridades brasileiras de manter vínculos com os Estados Unidos, o que deve ser rigorosamente apurado. 

    "Naquela época, Michel Temer era o presidente nacional do PMDB, e hoje ele é o presidente do Brasil, ainda que interino. De qualquer maneira, são denúncias que precisam ser apuradas, se nós levarmos em conta que os Estados Unidos têm profundos interesses no Brasil e na América do Sul, e, ainda em relação ao Brasil, veem com muita cobiça os depósitos de petróleo existentes na camada pré-sal”.

    Mais:

    WikiLeaks: EUA patrocinam escândalo de Panama Papers, os alvos são Rússia e Putin
    Especialista em WikiLeaks revela ingerência americana na Bolívia
    Tags:
    Conselho de Segurança, colaboração, informações, EUA, WikiLeaks, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar