10:30 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    CUT participa de evento do Dia do Trabalhador, em SP

    CUT não reconhece novo governo e vai ampliar mobilizações

    Ricardo Stuckert/ Instituto Lula
    Notícias
    URL curta
    21153

    A Central Única dos Trabalhadores (CUT) não vai reconhecer o novo governo de Michel Temer, por considerá-lo "fruto de um movimento golpista". A afirmação foi feita nesta quinta-feira, 12, pelo diretor executivo da CUT-SP, João Cayres, que traçou os próximos passos da entidade na mobilização popular contra a nova administração.

    Cayres diz que o pronto reconhecimento do novo governo pelos Estados Unidos comprova a ilegalidade do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff, "contra a qual não se provou nada". 

    "Os EUA, que adotam sanções baseadas em acusações infundadas contra países como Rússia, Paraguai e Honduras, deveria aplicá-las agora contra o Brasil", diz o dirigente, que acusa o programa de desenvolvimento econômico do PMDB, intitulado "Ponte para o Futuro", de ser uma ponte para o passado por prever a retirada de conquistas e direitos dos trabalhadores nos últimos anos. 

    O dirigente da CUT diz que, além da maior mobilização junto a movimentos populares como a Frente Brasil Popular e a Frente Brasil Sem Medo, a CUT vai promover também uma resistência jurídica face ao quadro de insegurança jurídica existente hoje no país. A estratégia, segundo ele, prevê deúncias no campo internacional e contato com importantes organizações mundiais de trabalhadores, como a IndustriALL Global Union, organização que conta com 50 milhões de trabalhadores filiados em 140 países nos ramos de metalurgia, química e têxtil.

    Mais:

    CUT desconfia dos motivos reais do afastamento de Cunha
    Movimentos sociais realizam protestos contra impeachment em diversas cidades do país
    Tags:
    movimentos sociais, trabalhadores, mobilização, impeachment, CUT, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar