06:09 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Notícias
    URL curta
    1 0 0
    Nos siga no

    O Senado está votando nesta quarta-feira, 11, a admissibilidade do processo de impeachment da Presidenta Dilma Rousseff, aprovado na sessão da Câmara dos Deputados de 17 de abril por 367 votos a favor, 137 contra, 7 abstenções e 2 ausências.

    Na opinião do professor de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP) Alberto Pfeiffer, acredita que, independentemente dos discursos e dos apartes dos senadores, a questão da aprovação do pedido de impeachment já está definida. Segundo ele, esse processo se tornou algo corriqueiro e o afastamento da presidente Dilma já é certo.

    “É claro que o governo vai buscar todas as medidas jurídicas possíveis para reverter esse processo, um ato extremo. É preciso, contudo que, respeitados todos os tramites e prazos legais, o governo volte a governar.”

    Pfeiffer reconhece que o prazo de 180 dias de afastamento da presidente talvez não seja o melhor hoje para a economia, os negócios e mesmo para a sociedade, mas, segundo ele, é preciso que a vida volte ao normal.

    “Não é só o que o Brasil todo espera, mas também o mundo. A Argentina, por exemplo, não vê a hora de ver o Brasil voltar a funcionar.”

    Mais:

    Juventude do PT promete ampliar mobilização popular contra o impeachment
    AGU tenta impedir impeachment acusando Cunha de desvio de finalidade
    Tags:
    Argentina, impeachment, mundo, Senado, Brasília
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar