19:45 30 Março 2017
Ouvir Rádio
    Kobane (Síria) devastada pelo Estado Islâmico

    Cerca de 20 mil estrangeiros se juntaram ao Estado Islâmico

    © AP Photo/
    Notícias
    URL curta
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)
    0 27612

    Aproximadamente 20 mil estrangeiros, sendo 3.400 ocidentais, já viajaram para a Síria e para o Iraque com o objetivo de lutar ao lado dos terroristas do Estado Islâmico, segundo informaram hoje autoridades da inteligência norte-americana, com base em um parecer divulgado pelo Centro Nacional Antiterrorismo dos EUA, o NCTC.

    De acordo com Nicolas Rasmussen, diretor do NCTC, o fluxo atual de combatentes internacionais, procedentes de 90 países,  para as áreas ocupadas por esse grupo extremista é sem precedentes, se comparado à situação verificada em zonas de conflito do Afeganistão, Paquistão, Iraque, Iêmen ou Somália nos últimos 20 anos. Para ele, uma das maiores preocupações é o fato de que esses campos de batalha do Oriente Médio estão proporcionando aos estrangeiros, entre os quais se destacam 150 cidadãos norte-americanos, uma série de experiências com armas e explosivos "e o acesso a redes terroristas que possam estar planejando ataques dirigidos contra o Ocidente". 

    Segundo o presidente do Comitê de Segurança Nacional da Câmara dos Representantes, Michael McCaul, o bombardeio sustentado pela coalizão liderada pelos Estados Unidos parece não estar surtindo efeito algum sobre o fluxo de estrangeiros para o califado, descrito como a maior convergência de terroristas islâmicos na história mundial. Ainda assim, há a expectativa de que a Casa Branca faça hoje um pedido formal ao Congresso para que este autorize as Forças Armadas do país a combaterem o Estado Islâmico nos próximos três anos. 

     

    Tema:
    Estado Islâmico: pior ameaça mundial (299)

    Mais:

    Casa Branca confirma morte de americana raptada pelo Estado Islâmico
    Estado Islâmico executa chineses desertores
    Dois terroristas do Estado Islâmico foram executados na Jordânia
    Tags:
    Centro Nacional Antiterrorismo dos EUA, Estado Islâmico, Michael McCaul, Nicolas Rasmussen, Oriente Médio, Iraque, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik