Câmara dos Deputados

Bancada feminina cresce na Câmara dos Deputados

Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados
Notícias
URL curta
212

A Câmara dos Deputados terá a maior bancada feminina das últimas três legislaturas, mas o Brasil ainda continuará abaixo da média da América Latina em número de mulheres no Legislativo, informou Agência Brasil.

Segundo Agência Brasil, uma das características do grupo de deputadas eleitas é o parentesco com políticos tradicionais: 10,4% das 77 eleitas.

Na bancada feminina, o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) identificou oito integrantes de famílias de políticos.

Segundo balanço feito pelo Diap, houve crescimento de 15% no total de mulheres eleitas para a Câmara, mas isso ainda é "insuficiente para equilibrar a participação de homens e mulheres no exercício da função de legislar e fiscalizar em nome do povo brasileiro". Nestas eleições, a legislação estabeleceu um mínimo de 30% de candidaturas femininas por partido ou coligação.

O percentual de mulheres eleitas vem aumentando nas últimas legislaturas e, neste pleito, teve discreta aceleração. Em 2014, quando foram eleitas 51 deputadas, a taxa de crescimento foi 10% na comparação com a bancada de 45 deputadas eleitas em 2010.

"O índice alcançado na eleição de 2018 sinaliza um cenário mais otimista, de modo que o Brasil avance no ranking de participação de mulheres no Parlamento", informa o Diap. No entanto, segundo o Diap, o Brasil ainda está "abaixo da média na América Latina, em torno de 30%" de representação feminina nos legislativos.

Mais:

Número de negros na Câmara cresce, mas continua baixo
'Pretensão natural': pai do Aerotrem quer ser o presidente da Câmara de Bolsonaro
Câmara registrou entrada de agressor de Bolsonaro no dia do ataque por engano
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik