O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) , durante um ato de campanha em Taquatinga-DF.

Le Figaro sobre Bolsonaro: 'Nunca brilhou a não ser por suas provocações'

© REUTERS / Adriano Machado
Notícias
URL curta
1689

O jornal Le Figaro, tradicional publicação da grande burguesia e da direita liberal na França, bateu forte em Jair Bolsonaro em reportagem publicada nessa sexta. O veículo classifica o discurso do candidato do PSL como "agressivo" e é categórico: ele “nunca brilhou na caserna nem na Câmara dos Deputados, a não ser por suas provocações e discursos”.

O jornal destaca o ataque sofrido pelo candidato e a foto tirada de Bolsonaro ainda no hospital, dias após o ataque, em que simula uma arma com as mãos. Para o Le Figaro, a subida vertiginosa do capitão nas pesquisas se deve principalmente a um suposto "abandono" do Estado brasileiro, incapaz de enfrentar a criminalidade nos últimos anos.

Ainda assim, a publicação não poupa Bolsonaro de adjetivos e constatações fortes. "O candidato mostra hoje convicções liberais, apesar de ter sempre defendido um Estado forte. Ele assume, entretanto, sua ignorância total em economia", diz, citando ainda a relação de Bolsonaro com os filhos.

"Ele se esquece sempre de sua filha mais jovem, fruto, ele diz, ‘de uma pequena fraqueza’ durante a concepção (…) Suas ideias extremistas, seu discurso agressivo, seduzem vários brasileiros cansados da corrupção e da violência. Mas assusta uma boa parte também. Sobretudo brasileiras, que não perdoam sua misoginia proclamada", conclui.

O Le Figaro não foi o único veículo francês a bater em Bolsonaro nos últimos dias. Na quinta-feira, o candidato foi capa e alvo de uma matéria de seis páginas inteiras com o título "Racista, homofóbico, misógino e pró-ditadura… e ele ainda assim seduziu o Brasil".

Tags:
Partido Social Liberal (PSL), Le Figaro, Jair Bolsonaro, França, Brasil
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik