03:39 27 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo insólito
    URL curta
    1111
    Nos siga no

    Engolida pelo mar, Eccles-on-Sea, na costa oriental inglesa, está debaixo d'água ou sob a areia. Mas, durante tempestades, restos de sua igreja aparecem, bem como os esqueletos do cemitério.

    O antigamente próspero vilarejo medieval de Eccles-on-Sea, se encontra desde o século XVI, na sequência de três horríveis e seguidas tempestades, em ruínas debaixo d'água e da areia.

    Sua igreja, construída no século XII, também não resistiu às tormentas, apenas se salvando o campanário octogonal, que se manteve em pé, servindo de farol para os marinheiros.

    Esta imagem mostra a torre da igreja de Eccles antes de ser levada pelas águas

    Até 1895, a torre era um dos marcos mais conhecidos do condado de Norfolk e uma lembrança constante do crescente avanço do mar do Norte.

    Um vendaval terrível em 23 de janeiro desse ano, o pior de que havia memória, tombou a torre para sempre, relata em 4 de julho o jornal Eastern Daily Press (EDP).

    Em poucos meses, a maior parte da igreja foi engolida pelas águas ou coberta de areia, até que restaram apenas algumas paredes.

    Em épocas de tempestades mais intensas, as ruínas da igreja e da vila emergem, depois de o mar varrer as areias que as cobrem.

    Nessas ocasiões, ficam visíveis "fundações das casas, marcas de carroças no barro, cerâmica romana, esqueletos em covas e uns poços", relatou um morador ao EDP.

    ​Caso esteja interessado, as ruínas da antiga torre da igreja de Eccles estão bem visíveis em Happisburgh

    Os poços eram na realidade banheiros medievais e lixeiras - uma cápsula de tempo da história sob as areias.

    Outro fenômeno que ocorre durante as grandes tempestades que varrem as areias é o antigo cemitério ficar visível, mostrando os contornos dos túmulos lavados pelo mar.

    Um morador relata ao EDP que uma vez viu um "esqueleto quase perfeito incrustado na argila, com um crânio de olhos ocos contemplando o céu".

    Mas em Eccles, as ruínas não são vistas há muito, desde o trabalho urgente da Agência Ambiental para construir um dique destinado a proteger casas e propriedades.

    No entanto, há quem garanta que, mesmo assim, os sinos dobram sob as ondas antes das tempestades.

    Mais:

    Mina de ocre mais antiga das Américas é descoberta no México (FOTO)
    Arqueólogos descobrem na Turquia alfinete e jarro de perfume de 2.500 anos (FOTOS)
    Pesquisadores encontram novos dados sobre época de Genghis Khan
    Tags:
    tempestades, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar