05:19 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Aranha (imagem referencial)

    Aranhas invadem casa e picam britânico até ele não poder andar (FOTO)

    CC0 / Pixabay/849356
    Mundo insólito
    URL curta
    233
    Nos siga no

    Um britânico, pai de três crianças, afirmou ter sofrido picadas de falsas-viúvas-negras. Por causa dos ferimentos graves, ele não pode andar nem tomar banho já durante dois meses.

    Um habitante da cidade inglesa de Southampton, de 26 anos de idade, afirma não ser capaz de andar depois de ter sido picado cinco vezes por Steatoda nobilis, ou falsas-viúvas-negras, na sua própria cama. As aranhas deste tipo são conhecidas por terem uma picada venenosa, mas não mortal, segundo o jornal The Sun.

    Atualmente, o homem tem várias marcas de picadas vermelhas sobre o seu corpo, das quais algumas se transformaram em feridas infetadas. Segundo o médico dele, ele sofre de reação alérgica. Ele disse que está extremamente preocupado com os filhos, porque as aranhas o atacaram na sua própria cama.

    "As picadas são dolorosas e eu tenho agora medo pelos meus filhos, especialmente pelo meu bebê de sete meses que dorme no mesmo quarto que eu. À noite, é quando eu sou habitualmente picado", explicou o britânico ao jornal Metro.

    Lewis Pearce, 26, foi picado cinco vezes por falsas-viúvas-negras e ficou incapaz de trabalhar, tomar banho ou andar.

    Segundo a esposa dele, se as aranhas picarem as crianças como o pai delas, elas não terão nenhuma chance de sobreviver.

    "Eu fico em casa e guardo as crianças. Lewis não pode ir ao trabalho", disse a mulher.

    O homem já falou com as autoridades locais, pedindo para eles tirarem as aranhas do edifício, mas sem resultado.

    Mais:

    Ô de casa? Touro quase invade residência pela janela (VÍDEO)
    Tigre-de-bengala doente ataca tratador em zoo indiano
    Cobra-rei é utilizada como colar por guarda florestal na Índia (VÍDEO)
    Tags:
    picada, crianças, Reino Unido, insetos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar