10:45 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
     Ministério da Defesa do Reino Unido

    Ex-funcionário da Defesa revela análogos da Área 51 no Reino Unido que podem esconder OVNIs

    CC BY-SA 3.0 / ArildV / Ministério da Defesa do Reino Unido
    Mundo insólito
    URL curta
    131

    O jornalista Nick Pope, ex-funcionário do Ministério da Defesa britânico, nomeou vários lugares no Reino Unido, onde entusiastas poderiam procurar provas de outros mundos.

    O ex-funcionário do Ministério da Defesa britânico, que investigava "fenômenos aéreos não identificados reportados ao Departamento para determinar se tinham significado para a Defesa" – como diz a informação no site da Câmara dos Comuns – deu uma lista de locais, que poderiam ser a "Área 51 britânica", para o tabloide The Sun.

    Segundo ele, cinco lugares no Reino Unido podem ser interessantes para caçadores de extraterrestres e conspiracionistas que suspeitam que militares possam ter tecnologias extraterrestres.

    Base Secreta da Força Aérea

    Um deles é uma antiga base secreta da Força Aérea Real Rudloe Manor em Corsham, Wiltshire, que possivelmente tem uma rede de túneis subterrâneos. O local, fechado em 2000, era usado para investigar avistamentos de OVNIs, conforme revelado em 2010.

    Desde então, o local se tornou um ímã para conspiracionistas, com alguns deles indo à antiga base, apesar da ameaça de prisão.

    Coração de Londres

    Pope nomeou uma das salas no Edifício Principal do Ministério da Defesa na Rua Whitehall, onde os funcionários estudaram relatórios de OVNIs sob um projeto que supostamente fechou há dez anos.

    O jornalista não exclui a possibilidade de o projeto ainda estar ativo secretamente. Ele alegou, citando fontes anônimas, que o projeto foi transferido para os americanos ou transferido para uma nova parte do prédio.

    Arquivos Nacionais

    Ele também sugeriu que os "Arquivos Nacionais do Reino Unido em Kew poderiam ser um ponto de interesse para os buscadores de Arquivos Secretos".

    O tabloide The Sun aponta que alguns arquivos relacionados a OVNIs foram desclassificados em 2018, revelando que os militares investigaram tais casos para possivelmente encontrar informações sobre tecnologias extraterrestres.

    Alguns documentos sobre avistamentos de OVNIs foram tornados públicos há mais de uma década. No entanto, alguns deles foram editados, suscitando especulações de que algo importante poderia ter sido abafado.

    Área 51 do Reino Unido

    O local que há muito é apelidado de "Área 51 britânica", o Estabelecimento Aeroespacial Real em Farnborough, Hampshire, também está na lista de Pope.

    Embora a instalação investigativa tenha sido fechada no final da década de 80, nunca deixou de inquietar os caçadores de alienígenas, que alegam correlação a raptos de OVNIs.

    Conspiracionistas vão gostar

    O local de testes de uma das maiores empresas de defesa do mundo, a BAE Systems, em Warton, também pode ganhar atenção de conspiracionistas. Há quem diga que se trata do berço dos caças Typhoon e Tornado, e que faz a imaginação de conspiracionistas "voar". Alguns até mesmo insistiram ter visto OVNIs sobrevoando região.

    Apesar de delinear locais relacionados a alienígenas, o ex-funcionário do ministério observa que talvez nunca saibamos onde esses segredos estão escondidos.

    "Se o Reino Unido tem uma Área 51, e se os segredos alienígenas estão sendo mantidos em algum lugar no Reino Unido, minha opinião é que enquanto os locais que mencionei são significativos, a ação real estará acontecendo em outro lugar, em um local tão secreto que a mídia e o público nunca ouviram falar dele", concluiu.

    Mais:

    F-117 da Força Aérea dos EUA é flagrado misteriosamente próximo da Área 51 (FOTOS, VÍDEO)
    Seguindo extraterrestres? Companhia aérea dos EUA estaria recrutando para restrita Área 51
    Base misteriosa onde escondem ETs: entusiastas obtêm imagens da secreta Área 51 (VÍDEO)
    Tags:
    Ministério da Defesa, alienígena, provas, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar