11:01 18 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Nuvem, imagem referencial

    Nuvem descomunal deixa meteorologistas dos EUA em dúvida (VÍDEO)

    © Sputnik / Leonid Savinov
    Mundo insólito
    URL curta
    0 51

    Meteorologistas do sul da Califórnia registraram no dia 4 de junho um ponto gigante no radar do Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA que, segundo alguns pesquisadores, foi causado por um grande enxame sem precedentes de milhões de joaninhas, informa Science Alert.

    Especialistas acreditam que a nuvem de insetos é formada pela espécie Hippodamia convergens, embora no estado californiano existam cerca de 200 espécies de joaninhas.

    A larga ressonância mostrada no radar nesta noite não é uma precipitação, mas, na verdade, uma nuvem de joaninhas denominada "bloom"

    De acordo com mídia, este enxame cobriu uma área de cerca de 16 km² e a causa exata do fenômeno ainda permanece desconhecida.

    Os insetos provavelmente voaram a uma altitude de 1,5 a 2,7 quilômetros. Este comportamento é explicado pela habitual migração anual, mas desta vez o enxame ocorreu em uma época incomum do ano e foi muito grande.

    Durante a estação fria, eles voam para longe para o inverno e voltam na primavera para começar a caçar pulgões. Os cientistas acreditam que invernos invulgarmente úmidos e quentes contribuíram para a sobrevivência de um grande número de besouros.

    Alguns especialistas duvidam da versão de que foram as joaninhas que causaram a mancha no radar. Como a temperatura atmosférica não era ideal para os insetos, e as joaninhas geralmente formam enxames de milhares de indivíduos e não de milhões, não está claro quais os fatores que desencadearam esse fenômeno.

    Mais:

    Astrônomos se deparam com fenômeno cósmico antes inimaginável
    Crianças ficam horrorizadas com misterioso fenômeno celeste parecido com OVNI (VÍDEO)
    Fenômeno natural raro assusta banhistas e moradores de praia tailandesa (VÍDEO)
    Tags:
    insetos, EUA, Meteorologia, nuvem
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar