22:24 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Verme (imagem referencial)

    Chinês amante de carne crua cria verme de 10 cm no cérebro (FOTO)

    CC0 / Pixabay
    Mundo insólito
    URL curta
    369

    Na China, do cérebro de um amante de carne crua extraíram um verme vivo de 10 centímetros, comunicou a edição South China Morning Post.

    O caso aconteceu na cidade Nanchang, no sudeste da China. O chinês Liu, de 26 anos de idade, apresentou ataques epilépticos por meses, mas o seu médico não estava conseguindo encontrar as razões da disfunção. O paciente foi enviado ao hospital central da região, e o exame de sangue mostrou que em seu organismo mora uma parasitose intestinal — cestoda Spirometra mansoni.

    Amante de carne crua criou verme no cérebro​

    Exames posteriores mostraram que o parasita mora no cérebro do paciente. Os médicos extraíram o verme da cabeça do chinês. Entretanto, o parasita sobreviveu e ficou nadando na proveta, comunicou a edição.

    Médicos consideram que Liu foi contagiado pelos ovos do parasita ao comer carne malpassada, seu prato favorito.

    O presidente do Centro de Neurocirurgia de Xangai, Huiguo, destacou que a doença se encontra frequentemente nas regiões com água suja, em pessoas que comem carne, peixe e outros mariscos crus ou malpassados. Já no organismo, os ovos ou larvas entram no sistema circulatório, buscando posteriormente um lugar definitivo para viver.

    Como um quarto de todo sangue, bombeado pelo coração, entra no cérebro, a probabilidade de o verme se instalar lá é grande, causando dor de cabeça, náusea, hemorragia e epilepsia.

    Mais:

    Indiano entra na delegacia com cabeça da esposa em uma sacola
    Multimilionário Musk recebe proposta de emprego na indústria pornô
    Torneio de modalidade siberiana promovida por Putin brilha com participação brasileira
    Modelo com sobrancelha exótica quebra estereótipo de beleza (FOTOS)
    Tags:
    epilepsia, verme, parasita, cérebro, carne, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik