00:52 16 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Crocodilo

    Cachorra 'terror de crocodilos' é finalmente vencida por réptil (VÍDEO FORTE)

    CC0 / Pixabay/maxidiaz
    Mundo insólito
    URL curta
    1075

    Foi gravado o vídeo da última tentativa da pequena terrier Pippa de morder a cauda do réptil conhecido como Casey, algo que a cadela fazia durante uma década.

    Na semana passada, Pippa, uma pequena cadela que se tornou famosa na Internet por aterrorizar crocodilos na ilha de Goat, no norte da Austrália, perdeu sua vida nas fauces de um desses répteis, informa seu dono Kai Hansen.

    "Era algo que tinha uma alta probabilidade de acontecer em qualquer momento", sublinhou Hansen, proprietário do bar Casey's, situado à beira do rio Adelaide, ao canal ABC. Em sua opinião, os turistas visitavam esse lugar especialmente para ver Pippa perseguindo o crocodilo Casey, que finalmente acabou com a vida dela.

    "Não fez nada de mal, só fez o que fazem os crocodilos", expressou Hansen, de 65 anos, cuja cachorra — apelidada de "loira tonta" — tinha ganho popularidade nas redes sociais na Internet por tais façanhas arriscadas.

    Hansen, criticado por permitir que sua cadela arriscasse sua vida dessa maneira, afirmou sentir-se "muito triste" e negou ter visto a última gravação de Pippa.

    "Uma pequena terrier não deveria fazer essas coisas. Mas será que devia detê-la? Não sei, ela conseguiu fazê-lo durante 10 anos", indicou, assegurando que, se tiver um novo cachorro, "definitivamente" não lhe permitirá perseguir crocodilos.

    Mais:

    Jacaré de 2 metros tenta escalar cerca para fugir de caçadores (FOTO)
    Família do Texas encontra jacaré em lugar inesperado (VÍDEO)
    Crocodilo devora pastor durante batismo coletivo às margens de lago na Etiópia (FOTO)
    Não se brinca com animais selvagens: crocodilo quase arranca mão de zelador (VÍDEO)
    Vingança de gansos: aves perseguem crocodilo no campo de golfe
    Tags:
    réptil, crocodilo, cachorro, Austrália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik