21:45 19 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Cédula georgiana com imagem da rainha Tamara

    Preservativo com rainha medieval desencadeia 'guerra' na Geórgia (FOTOS)

    CC0 / National Bank of Georgia
    Mundo insólito
    URL curta
    151

    Nenhuma imagem do líder soviético Josef Stalin ou do presidente Vladimir Putin conseguiu desencadear na Geórgia um escândalo similar ao que o país está vivendo agora por culpa de preservativos.

    Os preservativos fabricados pela empresa georgiana Aiisa são os responsáveis pela indignação de muitos georgianos, pois em suas embalagens há personagens históricos como a rainha Tamara da dinastia Bagrationi, que governou a Geórgia entre 1184 e 1213.

    Tamara, rainha da Geórgia
    Tamara, rainha da Geórgia

    Como se não bastasse, a embalagem do preservativo vem com um texto ainda mais atrevido: "A porta do palácio da rainha Tamara."

    O problema é que a rainha Tamara não é apenas uma personagem histórica, mas também uma santa, glorificada tanto pela igreja Ortodoxa georgiana como pela russa.

    Alguns georgianos indignados pelos preservativos ultrajantes protestaram no fim de março perto do parlamento, na cidade de Kutaisi, tendo sido convocados pelo Partido Trabalhista Georgiano.

    "Foram ofendidos os sentimentos pessoais, religiosos e nacionais dos membros de nossa organização política, foram provocados discórdia e conflito civil no país, tensões e distúrbios […] Exigimos proibição imediata da empresa", declarou o líder do partido, Georgui Liluashvili.

    A própria fundadora da Aiisa, Anania Gachechiladze, de 23 anos, está atendendo ao enorme interesse da imprensa por seus produtos originais.

    A empresa está operando no mercado local há mais de um ano. Apesar de custar caro – mais de 1,5 dólar (cerca de R$ 5) pela unidade – os produtos da Aiisa são populares até mesmo entre turistas. Além da rainha Tamara, os preservativos mostram os rostos de Lenin, Stalin, Putin e Batman.

    O colunista da Sputnik Geórgia, Goga Vardziely, declarou que a ideia dos preservativos não tem nada a ver com a política ou com uma determinada ideologia, trata-se de uma simples estratégia comercial.

    "A rainha Tamara, falando em uma língua moderna, é uma marca. Além disso, segundo alguns dados, é uma marca mais reconhecível no espaço informativo e publicitário internacional relacionado à Geórgia", disse ele.

    'Era dourada da história georgiana'

    O período em que governou a rainha Tamara é considerado a Idade de ouro da história georgiana. Tamara continuou a política externa de seu antecessor, David IV da Geórgia, e conquistou Tabriz, Erzurum e outros territórios. Em 1213, a Geórgia ocupava um território quase três vezes maior que o atual.

    Rainha Tamara e seu pai, rei Jorge III, no mosteiro das Cavernas de Vardzia
    © Sputnik / Tunkel
    Rainha Tamara e seu pai, rei Jorge III, no mosteiro das Cavernas de Vardzia

    Além disso, a rainha Tamara contribuiu para difusão do cristianismo na Geórgia e para construção de igrejas e mosteiros. Sua corte reuniu todos os gloriosos escritores que consolidaram o idioma georgiano.

    Mais:

    Programas de combate à AIDS na Venezuela são prejudicados por falta de preservativos
    Atletas recebem número recorde de preservativos nas Olimpíadas de Inverno de 2018
    Tags:
    escândalo, preservativo, marketing, santas, Josef Stalin, Vladimir Putin, Vladimir Lenin, Geórgia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik