12:18 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Polícial agarra ativista do FEMEN que protesta contra partido de Marin Le Pen, na França

    Confira 6 ativistas do movimento 'sextremista' FEMEN mais memoráveis (FOTOS, VÍDEOS)

    © AP Photo / Francois Mori
    Mundo insólito
    URL curta
    536

    O movimento "sextremista" conhecido como FEMEN, neste ano marca seu 10º aniversário, e seus adeptos continuam a se lançar, às vezes literalmente, a famosos políticos para espalhar o que consideram uma verdade nua e crua.

    O grupo chamado FEMEN foi criado em 2008 por um grupo de quatro mulheres ucranianas que buscavam usar a nudez feminina como elemento de protestos contra o sexismo e violência contra as mulheres, que primeiramente saiu às ruas de Kiev para declarar que a "Ucrânia não é um bordel". Desde então, a marca do grupo "sextremismo" se espalhou por todo o mundo, com as ativistas sem blusas causando muita repercussão em vários países.

    Seu tempo acabou, Berlusconi!

    Quando o ex-premiê italiano, Silvio Berlusconi, apareceu em Milão para cumprir o seu dever civil ao votar durante as eleições de 4 de março na Itália, foi agredido por uma ativista do FEMEN que lhe gritou "Seu tempo acabou, Berlusconi!" O político ficou calmo, votou e saiu do posto eleitoral, enquanto a mulher foi acompanhada por um guarda.

    Desculpe, embaixada errada

    Uma ativista do FEMEN ucraniana tentou protestar contra a reeleição do presidente atual da República Tcheca, Milos Zeman. Por um erro, ela ficou sem camisa em frente da embaixada eslovaca, em vez da tcheca, participando de uma manifestação independente.

    Uma ativista do FEMEN protesta contra o presidente tcheco, mas acidentalmente ficou sem blusa no lugar errado

    Almoço canibal de Erdogan

    Quando o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, visitou Paris para realizar as negociações com o presidente francês, Emmanuel Macron, quatro ativistas do FEMEN organizaram um protesto contra as alegadas violações de direitos humanos na Turquia. Quatro manifestantes sem camisas vestidas como garçonetes, estavam carregando um cardápio chamado de "Almoço canibal de Erdogan" que tinha tais opções como "curdos fatiados", "pudim de gays" e "jornalistas cozidos".

    Presépio colapsa

    No Natal passado, uma ativista nua do FEMEN com as palavras "Deus é uma mulher!" escritas em seu peito, fez a tentativa de roubar a figura do pequeno Jesus do presépio na Praça de São Pedro no Vaticano, durante o protesto contra os séculos da "violência e opressão das mulheres".

    Raiva contra o islã

    Em 2015, duas mulheres do FEMEN tentaram minar a conferência nos subúrbios de Paris. As mulheres apareceram em cena, quando dois imãs estavam alegadamente discutindo se é correto ou não bater em mulheres, gritando "Ninguém pode me escravizar, ninguém pode me possuir, eu sou o meu próprio profeta!", mas logo foram agarradas pelas forças de segurança.

    Quando você tenta atacar Putin e fracassa

    Em 2013, várias ativistas do FEMEN tentaram frustrar a visita do presidente russo, Vladimir Putin, e da chanceler alemã, Angela Merkel, à exposição técnica de Hannover Messe.

    As mulheres de uma maneira violenta se lançaram contra o presidente russo gritando palavras obscenas, mas logo foram agarradas por forças de segurança, enquanto o presidente ficou aparentemente pasmado com a situação.

    Mais:

    Ativista do Femen protesta contra Berlusconi (VÍDEO)
    Ativista do FEMEN invade museu de cera e agarra as partes íntimas do boneco de Trump
    Ativistas protestam seminuas contra Trump em Nova York (VÍDEO)
    Tags:
    movimento, sexo, violência, ativista, FEMEN, Silvio Berlusconi, Recep Tayyip Erdogan, Angela Merkel, Vladimir Putin
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik