18:11 21 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Mulher grávida

    EUA aprovam por lapso projeto de lei que permite às mulheres grávidas matar

    CC BY-SA 2.0 / Jerry Lai / 31 weeks pregnant
    Mundo insólito
    URL curta
    308

    No estado americano de Nova Hampshire os republicanos aprovaram por lapso um projeto de lei que permite às mulheres grávidas matarem sem qualquer punição, comunica o portal americano Huffington Post.

    Trata-se de uma formulação imprecisa no texto do projeto de lei, onde ficou escrito que uma interrupção da gravidez, depois da vigésima semana, será considerado como homicídio. O erro ocorreu na parte do documento que descreve as exceções para as mulheres grávidas que queiram fazer um aborto e seus médicos.

    Assim, de acordo com o texto inicial, "qualquer ato cometido pela mulher grávida ou pelo médico", no cumprimento de suas funções profissionais, não será considerado como homicídio em segundo grau, homicídio involuntário ou homicídio por negligência.

    "Nessa formulação o projeto de lei permite realizar um suicídio com ajuda do médico e as mulheres grávidas podem matar impunemente", declarou um representante dos republicanos ao jornal local Concord Monitor, acrescentando que eles não tinham essa intenção, mas parece ter essa leitura.

    O Huffington Post destaca que o projeto de lei foi aprovado em ambas as câmaras do Congresso e que o erro foi notado só passada uma semana. Os republicanos tiveram tempo para corrigir o documento antes de ele entrar em vigor.

    A repórter da rádio de Nova Hampshire, Paige Sutherland, que participou da discussão sobre a questão no Capitólio local escreveu no seu Twitter que um dos congressistas apelou para "verificar que as mulheres grávidas não andam por aí matando pessoas".

    Mais:

    Estas mulheres pretendem tomar o poder na ex-capital do 'Estado terrorista'
    'Convidado a sair' por assediar mulheres: Fox News demite apresentador que ofendeu Putin
    Autoridades do Japão tencionam recrutar mais mulheres para o exército
    Tags:
    bebê, mulheres, mulher, grávida, Congresso dos EUA, Nova Hampshire, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik