08:30 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Pessoas vestidas de chapéus de 'Picachu' tiram fotos durante a parada dos fãs de Pokemon Go

    Ninguém é capaz de travar a caça aos pokémon de motoristas japoneses, nem os pedestres

    © REUTERS / Kim Kyung-Hoon
    Mundo insólito
    URL curta
    0 0 0
    Nos siga no

    No fim de outubro um vídeo aterrador sobre um motorista de ônibus jogando Pokémon Go, enquanto levava passageiros à velocidade de 60 km/h, abalou o YouTube.

    No vídeo, se vê o motorista tocando e deslizando vários Pokéstops. O volante de grande diâmetro do veículo lhe permitia ver a tela através do espaço entre os raios do volante, estando o smartphone instalado entre o velocímetro e o tacômetro.

    O homem de 41 anos é funcionário da empresa Ryobi Holdings Company, que organiza excursões de ônibus a pontos de interesse turístico de Osaka, diz a mídia local.  Este vídeo de prova fez com que a empresa tenha iniciado uma investigação interna que resultou em o motorista ter reconhecido seu delito.

    Em 7 de novembro, o Ministério dos Transportes japonês apelou oficialmente às empresas de transporte para que elas restringissem o uso dos celulares pelos motoristas, comunica o diário japonês Sankei Shimbun. Entretanto, Pokémon Go parece estar causando mais interesse do que o governo esperava.

    Em 28 de outubro, um moço de 9 anos foi morto em um acidente rodoviário na cidade de Ichinomiya (prefeitura de Aichi), após ter sido atropelado por um caminhão, cujo motorista estava jogando Pokémon Go. A polícia deteve o motorista, Nobusuke Kawai (de 36 anos de idade), no local do acidente. Ele reconheceu não ter vigiado a estrada durante a viagem, comunicou The Japan Times.

    Mais cedo em agosto, aconteceu o primeiro acidente mortal envolvendo o aplicativo: segundo dizem os relatórios, ele ocorreu na prefeitura de Tokushima.

    O agricultor japonês Keiji Goo, de 39 anos, foi detido depois de atropelar duas mulheres enquanto conduzia. Uma idosa de 72 anos morreu e a outra ficou ferida. Já mais tarde, o suspeito confessou que o acidente ocorreu porque ele estava distraído com o jogo Pokémon Go. Em 31 de outubro, ele foi sentenciado a um ano e dois meses de prisão por decisão do tribunal.

    Em 4 de novembro, a rede NHK comunicou que os habitantes da cidade de Ichinomiya enviaram uma solicitação à empresa gerenciadora do aplicativo, Niantic Inc., baseada nos Estados Unidos, pedindo-lhe para mudar as configurações do jogo visando impossibilitar o uso do aplicativo durante viagens.

    Depois de a informação sobre este pedido ter vazado na mídia, a prefeitura de Ichinomiya recebeu nove e-mails com ameaças, dizendo: “Retirem o pedido. O castigo divino alcançará suas famílias”, “Será que vocês querem ver a sede da prefeitura sendo incendiada?”, cita as mensagens o jornal japonês Asahi Shimbun.

    Em agosto, após inúmeros acidentes em todas as partes do mundo, os criadores do aplicativo lançaram uma atualização que prevê um alerta visível durante a viagem, dizendo que os motoristas não devem jogar nestes casos.  Entretanto, é pouco provável que a janela pop-up influencie os jogadores mais empenhados. Eles simplesmente podem tocar no botão ‘Sou um passageiro’.

    Parece que o slogan publicitário do jogo deveria ser outro, ‘Atropele eles todos’ em vez de ‘Pegue eles todos’…

    Mais:

    Como comprar uma casa por 20 iPhones? Fácil, é só sair com 20 namorados ao mesmo tempo
    Madonna confunde bandeira de Israel e Argentina em postagem sobre morte de Shimon Peres
    Suíça realiza Olimpíadas Biônicas pela primeira vez na história (VÍDEO)
    Tags:
    motorista, celular, aplicativo, acidente de carro, Pokémon Go, Niantic, Nintendo, EUA, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar