21:49 27 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo insólito
    URL curta
    343
    Nos siga no

    O local é o testemunho mais terrível do trágico período do domínio nazista na Polônia.

    Dois portugueses de 17 anos de idade foram detidos no antigo campo de concentração de Auschwitz, na Polônia, por tentativa rabiscar seus nomes no portão do museu, relata na terça-feira o portal polonês onet.pl.

    Os adolescentes confessaram ter tentado escrever seus nomes para deixar uma marca da visita no museu existente no local. A polícia iniciou um processo por danos causados a um importante  monumento da herança cultural, considerado um crime sério.

    Os dois portugueses podem regressar a casa mas foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa por três anos.

    Os jovens tinham viajado para a Polônia no âmbito de Jornada Mundial da Juventude durante a visita do Papa Francisco, que juntou milhares de peregrinos.

    Auschwitz era um campo de concentração nazista localizado no sul da Polônia, a 60 km da cidade de Cracóvia, sendo considerado o maior e mais terrível símbolo do Holocausto.

    Segundo várias estimativas, no local foram assassinadas até 1,4 milhões de pessoas, mais de um milhão delas eram judeus. Hoje no território do campo existe um museu.

    Mais:

    Sérvia não quer viver em Auschwitz europeu
    Lista de prisioneiros de Auschwitz é encontrada em biblioteca escolar
    Diários privados de Heinrich Himmler descobertos na Rússia
    Tags:
    danos, campo de concentração, prisão, Jornada Mundial da Juventude, Papa Francisco, Auschwitz, Polônia, Portugal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar