20:59 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo insólito
    URL curta
    225
    Nos siga no

    As imagens e piadas racistas se tornaram extremamente populares entre os russos, que cresceram assistindo os desenhos animados soviéticos com a sua atitude "caricatural" em relação às pessoas pretas, escreve a edição britânica The Guardian.

    Embora a União Soviética fosse contra a discriminação racial e prestasse apoio financeiro aos países africanos, ninguém tinha uma ideia clara como representar a cultura africana e, na propaganda antirracista, muitas vezes eram utilizados estereótipos ofensivos, observa o autor do artigo.

    Em particular, em um dos desenhos animados soviéticos, "Mister-Twister", o personagem afro-americano tinha uma pele muito escura, lábios vermelhos brilhantes, um sorriso demasiado largo e traços exagerados.

    E no filme de animação "Katerok" os pequenos negros tinham a capacidade de falar com os animais, o que, de acordo com a publicação, é "uma alusão ao fato de se achar que as crianças africanas têm mais em comum com os animais do que os russos".

    "As pessoas que cresciam vendo os desenhos animados soviéticos, aparentemente, não entendiam muito bem o que é realmente o racismo", conclui o autor.

    Recentemente, os EUA expressaram o seu descontentamento por na Rússia se vender um sorvete Obamka (diminutivo de Barak Obama em russo) e chamaram este incidente de "manifestação de antiamericanismo". O produtor de sorvete logo desistiu do lançamento do produto.

    Mais:

    Desenho animado provocatório mostra como estragamos o planeta
    Política pouco importa quando falamos de desenhos animados bons
    Tags:
    discriminação racial, racismo, desenho animado, The Guardian, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar