10:39 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo insólito
    URL curta
    1727
    Nos siga no

    Na tarde da terça-feira, o Pentágono reconheceu que tinha enviado, por engano, esporos de antraz a vários laboratórios no próprio país e até à Coreia do Sul.

    De acordo com fontes locais, até 22 pessoas podem ter sido expostas às bactérias.

    O antraz é uma doença infeciosa letal provocada pela bactéria Bacillus anthracis. Devido à sua alta letalidade, pode ser usada como arma biológica.

    Segundo o coronel Steve Warren, porta-voz da autoridade militar dos Estados Unidos, as amostras enviadas não representam qualquer perigo de infeção.

    "Não existe nenhum risco conhecido para os habitantes no geral. Entre o contingente [das instalações], também não foi registrado nenhum indício de possível exposição", disse o representante oficial do Pentágono.

    O coronel Warren também esclareceu que o antraz foi enviado a partir da base militar no estado norte-americano de Utah através de um serviço de correio comercial. Em 30 de abril, as amostras chegaram ao laboratório no estado de Maryland e dali, foram distribuídas para as instalações restantes.

    O porta-voz do Pentágono assegurou que o envio não foi intencional, pois os responsáveis por esta ação pensavam que se tratava de esporos mortos.

    O alerta foi ativado quando um dos laboratórios descobriu que uma parte das amostras continha bactérias vivas.

    No momento, o Departamento da Defesa dos EUA (Pentágono) suspendeu o envio deste material a partir dos seus laboratórios até que a investigação seja concluída.

    Tags:
    antraz, Pentágono, Coreia do Sul, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar