10:44 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Bombeiros estadunidenses ajudam seu colega que tinha coletado amostras de um objeto que supostamente continha esporos de antraz. Foto de 2012.

    Pentágono envia antraz vivo para EUA e Coreia do Sul “por engano”

    © AP Photo / Rick Bowmer
    Mundo insólito
    URL curta
    1727

    Na tarde da terça-feira, o Pentágono reconheceu que tinha enviado, por engano, esporos de antraz a vários laboratórios no próprio país e até à Coreia do Sul.

    De acordo com fontes locais, até 22 pessoas podem ter sido expostas às bactérias.

    O antraz é uma doença infeciosa letal provocada pela bactéria Bacillus anthracis. Devido à sua alta letalidade, pode ser usada como arma biológica.

    Segundo o coronel Steve Warren, porta-voz da autoridade militar dos Estados Unidos, as amostras enviadas não representam qualquer perigo de infeção.

    "Não existe nenhum risco conhecido para os habitantes no geral. Entre o contingente [das instalações], também não foi registrado nenhum indício de possível exposição", disse o representante oficial do Pentágono.

    O coronel Warren também esclareceu que o antraz foi enviado a partir da base militar no estado norte-americano de Utah através de um serviço de correio comercial. Em 30 de abril, as amostras chegaram ao laboratório no estado de Maryland e dali, foram distribuídas para as instalações restantes.

    O porta-voz do Pentágono assegurou que o envio não foi intencional, pois os responsáveis por esta ação pensavam que se tratava de esporos mortos.

    O alerta foi ativado quando um dos laboratórios descobriu que uma parte das amostras continha bactérias vivas.

    No momento, o Departamento da Defesa dos EUA (Pentágono) suspendeu o envio deste material a partir dos seus laboratórios até que a investigação seja concluída.

    Tags:
    antraz, Pentágono, Coreia do Sul, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar