20:27 14 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    124
    Nos siga no

    Um estudo divulgado pela resseguradora Swiss Re concluiu que a economia global pode perder 18% da produção econômica até 2050 se o mundo não tomar medidas para minimizar os impactos das mudanças climáticas.

    O relatório da companhia suíça, publicado nesta quinta-feira (22), aponta que a economia do continente asiático seria a mais atingida.

    Segundo a pesquisa, a China corre o risco de perder quase 24% do PIB em um cenário mais adverso. Já os Estados Unidos e a Europa perderiam cerca de 10% e 11%, respectivamente.

    O estudo leva em conta que as temperaturas subirão 3,2º C até a metade do século.

    Segundo a Swiss Re, se as metas do Acordo de Paris forem cumpridas e a temperatura subir menos de 2º C, as perdas podem ser limitadas a 4%.

    "Como o aquecimento global torna o impacto dos desastres naturais relacionados ao clima mais severo, ele pode levar a perdas substanciais de renda e produtividade ao longo do tempo", indicou o relatório.
    O presidente dos EUA, Joe Biden, participa da Cúpula do Clima em 22 de abril de 2021
    © REUTERS / Tom Brenner
    O presidente dos EUA, Joe Biden, participa da Cúpula do Clima em 22 de abril de 2021

    O estudo cita que o aumento do nível do mar resulta na perda de terras que poderiam ser usadas de forma produtiva e ainda que o estresse térmico pode levar a quebras de safra.

    "As economias emergentes nas regiões equatoriais seriam as mais afetadas pelo aumento das temperaturas", apontou.

    Mais:

    'Que compromisso brasileiro é esse de fortalecer órgãos ambientais?', questiona especialista
    Alemanha promete investir US$ 4 bilhões para políticas ambientais em países em desenvolvimento
    UE fecha grande acordo climático antes da Cúpula do Clima de Biden
    Tags:
    estudo, Europa, China, Estados Unidos, Ásia, PIB, mundo, temperatura, clima global, clima
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar