09:44 12 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    11272
    Nos siga no

    Os países mais influentes são os que estabelecem padrões econômicos reconhecidos em todo o mundo, preocupam políticos e estão constantemente em manchetes das notícias.

    O "subranking de poder", compilado pela revista estadunidense U.S. News & World Report valoriza a influência mundial de 80 estados, se baseando em cinco indicadores chave: líder, peso econômico e político, fortes alianças internacionais e capacidade de seu exército.

    O Top 10

    Os EUA continuam ocupando o primeiro posto, dado que possuem a maior economia no mundo e têm o maior orçamento militar. Além disso, o país é o que dá a maior contribuição financeira à OTAN e atribui bilhões de dólares em ajuda militar a outros países.

    A Rússia e a China ocupam o segundo e o terceiro lugares respetivamente. Segundo os analistas da revista, a escala da influência da Rússia é "difícil de medir", enquanto a China é "uma das civilizações" mais antiga do mundo.

    Este ano, o Top 10 de países mais influentes quase não sofreu mudanças desde 2018. Só a Coreia do Sul conseguiu melhorar sua posição e deslocou os Emirados Árabes para o 10º posto.

    Aqui está o Top 10 dos países mais influentes no mundo com seus respetivos indicadores: população e PIB per capita:

    1. EUA (325,7 milhões de habitantes; US$ 59.792)
    2. Rússia (144,5 milhões de habitantes; US$ 27.893)
    3. China (1.400 milhões de habitantes; US$ 16.696)
    4. Alemanha (82,7 milhões de habitantes, US$ 50.804)
    5. Reino Unido (66,0 milhões de habitantes, US$ 44.292)
    6. França (66,7 milhões de habitantes; US$ 44.081)
    7. Japão (126,8 milhões de habitantes; US$ 42.942)
    8. Israel (8,7 milhões de habitantes; US$ 36.405)
    9. Arábia Saudita (32,9 milhões de habitantes, US$ 54.532)
    10. Coreia do Sul (51,5 milhões de habitantes, US$ 39.548)

    América Latina

    Nenhum país da região latino-americana conseguiu entrar no Top 10 da lista. No entanto, três nações latino-americanas conseguiram entrar no Top 50. O primeiro é o Brasil, que ocupou o 30º posto. Depois fica o México, no lugar 38, subindo uma posição em relação a 2018. Este ano, a Colômbia terminou a lista no posto 50, subindo do ponto 56.

    Aqui se pode ver os lugares que outros países da região latino-americana ocuparam.

      30. Brasil (209,3 milhões de habitantes; US$ 15.637)

      38. México (129,2 milhões de habitantes; US$ 19.938)

      50. Colômbia (49,1 milhões de habitantes; US$ 14.437)

      55. Argentina (44,3 milhões de habitantes; US$ 20.918)

      64. Guatemala (16,9 milhões de habitantes; US$ 8.165)

      65. Equador (16,6 milhões de habitantes; US$ 11.507)

      66. Peru (32,2 milhões de habitantes; US$ 13.521)

      67. Chile (18,1 milhões de habitantes; US$ 24.592)

      69. República Dominicana (10,8 milhões de habitantes; US$ 16.997)

      72. Costa Rica (4,9 milhões de habitantes; US$ 16.894)

      74. Uruguai (3,5 milhões de habitantes; US$ 22.374)

    Mais:

    Fator Bolsonaro: como o presidente atrapalhou e pode ajudar a economia do Brasil em 2020?
    Economista explica por que acordo EUA-China não é um bom presente para o Brasil
    Tarifas de Trump causam danos à economia dos EUA, diz Federal Reserve
    Tags:
    ranking, revista, Brasil, influência política, influência
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar