14:29 23 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Kim Jong-un na estação ferroviária de Khasan

    Kim Jong-un convida Vladimir Putin para visitar Coreia do Norte

    © Sputnik / Seviço de imprensa da administração da região de Primorie
    Mundo
    URL curta
    680

    A cúpula entre os líderes da Rússia e da Coreia do Norte, realizada neste 25 de abril, em Vladivostok, foi "amigável" e resultou em um acordo entre Kim Jong-un e Vladimir Putin para fortalecer a parceria estratégica e preservar a paz e a segurança regionais, informou Agência Central Coreana de Notícias (KCNA).

    O líder norte-coreano, Kim Jong Un, teria convidado o presidente russo, Vladimir Putin, a fazer uma visita à Coreia do Norte, informou a AFP, citando a KCNA.

    Vladimir Putin teria dito que estava pronto para visitar o país.

    Segundo os relatos, durante a reunião bilateral, Kim e Putin concordaram em adotar medidas para elevar as relações comerciais e econômicas entre a Rússia e a Corea do Norte a um novo nível.

    Após a cúpula, Vladimir Putin chamou Kim de um "pessoa muito aberta", dizendo que eles tinham discutido as sanções, as relações com os EUA, e a desnuclearização da região.

    Putin acrescentou que a Rússia e os EUA compartilham o interesse na desnuclearização da península coreana.

    "O presidente Kim Jong Un é uma pessoa bastante aberta, ele fala francamente sobre todos os assuntos da agenda — relações bilaterais, sanções, as Nações Unidas, suas relações [de Pyongyang] com os Estados Unidos, é claro, sobre o tópico mais importante, a desnuclearização da península coreana ", disse Putin aos jornalistas.

    Vladimir Putin e Kim Jong-un se encontraram pela primeira vez nesta quinta-feira na Universidade Federal do Extremo Oriente, na ilha Russky, em Vladivostok. Esta não foi apenas a primeira visita de Kim à Rússia desde que chegou ao poder, em 2011, mas também foi a primeira viagem internacional do líder norte-coreano desde sua reeleição ao cargo de presidente no início de abril.

    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar