08:33 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino da Venezuela (foto de arquivo)

    EUA se dizem desapontados com Itália por não reconhecer Guaidó

    © AP Photo / Fernando Llano
    Mundo
    URL curta
    1126

    Os Estados Unidos estão decepcionados com a decisão italiana de não reconhecer a legitimidade do autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, afirmou em conversa com jornalistas o enviado especial dos EUA Elliott Abrams.

    A Itália, assim como Irlanda, Grécia e Eslováquia, se recusou a se juntar à maioria dos Estados-membros da União Europeia em seu posicionamento diante da atual crise política venezuelana, na qual Guaidó, líder da oposição, disputa o poder com o presidente de fato, Nicolás Maduro.

    "Estamos desapontados que a Itália não tenha aderido aos países da UE no reconhecimento de Juan Guaidó como presidente interino", disse Abrams nesta terça-feira. "Esperamos que a continuação do argumento na Itália, a continuação das discussões na Itália, levem em algum momento ao que veríamos como uma decisão melhor: unir-se a tantos parceiros da Itália na Europa."

    Guaidó se autoproclamou chefe de Estado interino da República Bolivariana em 23 de janeiro deste ano, sendo imediatamente reconhecido pelos EUA e depois por vários outros países, incluindo o Brasil, como tal. No entanto, apesar da pressão internacional, Maduro, reconhecido por China, Rússia, Cuba, Bolívia e outros, tem conseguido se manter no poder, com apoio da maior parte da população venezuelana e também das Forças Armadas.

    Mais:

    Evo: 'agressão armada' dos EUA contra Venezuela falhou
    Venezuela conseguirá derrotar minoria que tenta desestabilizar país, diz Maduro
    Autoridades gregas revelam motivo de avião oficial venezuelano ter pousado em Atenas
    Trump prolonga sanções contra a Venezuela
    Tags:
    Elliott Abrams, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Eslováquia, Grécia, Irlanda, Bolívia, Cuba, Rússia, China, União Europeia, Europa, Itália, Venezuela, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar