15:47 15 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    140
    Nos siga no

    A presença das forças dos Estados Unidos na Síria não contribui para uma solução política e diplomática para a crise no país árabe, conforme declarou o porta-voz da presidência russa, Dmitry Peskov.

    "A presença das forças dos EUA no solo sírio não ajuda a alcançar o acordo político e diplomático. É claro que o envolvimento de Washington nas negociações relevantes sob o guarda-chuva da ONU, o trabalho harmonioso dos funcionários dos EUA com de Mistura [enviado das Nações Unidas para a Síria] no interesse desse acordo, contribuiria para alcançar esse objetivo final", disse o representante do Kremlin ao Canal 1, da Rússia.

    De acordo com Peskov, os principais esforços em torno da Síria no momento estão focados na formação da comissão que irá reescrever a Constituição do país, o que, para o chanceler russo, Sergei Lavrov, pode ser concluído já no início do próximo ano. 

    Sobre as recentes alegações do presidente norte-americano, Donald Trump, de que Moscou, Damasco e Teerã estariam descontentes com a retirada das forças dos EUA da Síria, pois teriam que lutar sem esse apoio, o porta-voz da presidência russa lembrou que os Estados Unidos atuaram no território sírio de maneira ilegal e várias áreas sob controle americano foram atingidas por desastres humanitários e armamento de terroristas.

    Mais:

    Especialista põe em dúvida retirada definitiva de tropas norte-americanas da Síria
    Mídia: veículos militares dos EUA abandonam Síria (VÍDEO)
    Donald Trump: militares americanos que lutaram na Síria são 'grandes heróis do mundo'
    Escritório de Relações Exteriores do Reino Unido: 'Daesh permanecerá uma ameaça na Síria'
    Ex-ministro francês: Saída dos EUA da Síria é uma 'vitória para o povo sírio'
    Tags:
    Canal 1, ONU, Staffan de Mistura, Donald Trump, Dmitry Peskov, Teerã, Damasco, Moscou, Síria, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar