05:35 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA Donald Trump durante a cúpula da OTAN em Bruxelas

    Trump: OTAN 'estava fraca, mas está forte de novo'

    © Sputnik / Aleksei Vitvitsky
    Mundo
    URL curta
    213

    Nas últimas semanas, o presidente dos EUA, Donald Trump, tem intensificado suas pressões sobre os aliados da OTAN, exigindo que estes aumentem as despesas com defesa até quatro por cento do PIB.

    Após a cúpula da Aliança que teve lugar mais cedo neste mês, o mandatário elogiou em uma publicação no Twitter os seus próprios esforços para aumentar as capacidades da OTAN, aludindo que isso afetará negativamente a Rússia.

    "Tive um ótimo encontro com a OTAN. Eles pagaram mais $ 33 bilhões e pagarão centenas de bilhões de dólares mais no futuro, apenas graças a mim. A OTAN estava fraca, mas agora está forte de novo (mau para a Rússia). A mídia diz somente que eu fui grosseiro com os líderes, mas nunca menciona o dinheiro", diz a publicação de Trump.

    Continuando com o tema da OTAN, Trump publicou outra postagem, sublinhando o sucesso da última cúpula, mas acrescentou que teve um encontro ainda melhor com Vladimir Putin.

    "Enquanto tive um ótimo encontro com a OTAN, obtendo grandes quantias de dinheiro, tive uma reunião ainda melhor com Vladimir Putin. Infelizmente, isso tem sido relatado de outro modo", comunicou Trump, criticando as notícias falsas.

    A afirmação surge um dia após Trump ter estado na primeira cúpula de sempre com o presidente russo, Vladimir Putin, em Helsinque, que ele qualificou de "negociações produtivas e de muito sucesso".

    Durante a última cúpula da OTAN, que decorreu entre 11 e 12 de julho em Bruxelas, Trump pôs em dúvida outra vez a utilidade da Aliança, postando tuites que Washington estava gastando muito mais com o grupo do que qualquer outro Estado-membro. O presidente estadunidense também apelou aos países-membros que aumentassem seus gastos com defesa até 4% do PIB. Porém, assim como no ano passado, apenas seis de 29 membros, EUA, Grécia, Estônia, Reino Unido, Romênia e Polônia, gastaram 2% do seu PIB com a defesa, o objetivo indicado por Trump anteriormente.

    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik