22:45 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Rod J. Rosenstein, vice-procurador-geral dos Estados Unidos

    Agentes russos são indiciados por suposta interferência nas eleições dos EUA

    © AP Photo / Patrick Semansky
    Mundo
    URL curta
    21024

    Agentes do serviço de inteligência russo foram indiciados nesta sexta-feira nos Estados Unidos por suposta interferência na eleição presidencial norte-americana de 2016.

    A acusação afirma que os oficiais russos teriam participado de ataques cibernéticos contra o Comitê Nacional do Partido Democrata, com o objetivo de beneficiar o então candidato republicano Donald Trump. 

    Segundo o vice-procurador-geral dos EUA, Rod Rosenstein, os acusados criaram contas online fictícias para liberar informações roubadas a partir de junho de 2016, atrapalhando a candidatura de Hillary Clinton. Ainda de acordo com ele, a inteligência russa também invadiu o sistema do conselho eleitoral e roubou as informações de 500 mil eleitores, mas isso não afetou a contagem dos votos ou o resultado da eleição.

    "Hoje, o grande júri do distrito de Columbia devolveu uma acusação apresentada pelo Escritório do Conselho Especial. O indiciamento acusa 12 militares russos pelo nome. De acordo com as alegações no indiciamento, os réus trabalham para duas unidades do Departamento Central de Inteligência do Estado-Maior da Rússia, conhecido como GRU", disse Rosenstein a repórteres.", disse Rosenstein a em conversa com jornalistas.

    Onze dos réus são acusados de conspirar para invadir computadores, roubar documentos e liberar esses documentos com a intenção de interferir na eleição. Já o 12º é acusado de conspirar para "infiltrar computadores de organizações envolvidas na administração de eleições".

    Mais:

    Trump está ensaiando com advogado antes de depor sobre 'interferência russa'
    FBI vai colocar republicanos a par das investigações sobre a 'interferência russa'
    EUA: Juíza frustra Robert Mueller e mantém audiência sobre 'interferência russa'
    Tags:
    Partido Republicano, Partido Democrata, Rod Rosenstein, Donald Trump, Hillary Clinton, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik