04:10 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Angela Merkel e Li Keqiang, Berlim, Alemanha

    Alemanha e China celebraram acordos de 20 bilhões de euros em resposta às tarifas dos EUA

    © REUTERS / Fabrizio Bensch
    Mundo
    URL curta
    17311

    Os acordos comerciais são uma resposta em alto e bom som às tarifas impostas pela administração do presidente norte-americano Donald Trump.

    A guerra comercial iniciada pelo governo de Donald Trump, através da imposição de tarifas, segue a todo vapor. Depois da China ter imposto tributação no valor de 34 bilhões de dólares sobre produtos norte-americanos, agora o gigante asiático e a Alemanha assinaram acordos comerciais no valor de 20 bilhões de euros.

    Nesta segunda-feira, 22 acordos foram assinados pela chanceler Angela Merkel e premiê chinês Li Keqiang, que concordaram com a importância de promover o livre comércio. "Nós dois queremos manter o sistema de regras da Organização Mundial do Comércio", disse a autoridade alemã.

    Ela acrescentou que o "sistema multilateral interdependente" se torna em uma "situação plurilateral na qual todos ganham", quando as regras são respeitadas.

    Merkel também saudou a decisão de Pequim de flexibilizar as regras para o investimento estrangeiro, o que mostra que "a abertura do mercado na China" não são "apenas palavras, mas é algo respaldado por fatos."

    Finalmente, depois de destacar o alto volume de investimentos diretos alemães nos EUA e na China, a chanceler alegou estar pronta para negociar com Washington, e garantiu que precisará agir, como fez com as tarifas do aço e de alumínio, se um acordo não for alcançado.

    Além de agências governamentais, os acordos também envolveram empresas como Volkswagen, BMW, Daimler, Bosch, BASF e Siemens.

    Os acordos assinados entre Merkel e Li foram uma resposta à política comercial dos EUA, que fixou tarifas em 25% do valor das importações da China, o equivalente à 50 bilhões de dólares anuais.

    Mais:

    Rússia introduz medidas em resposta a novas tarifas dos EUA
    China: novas tarifas dos EUA são 'terror psicológico'
    Em meio a ameaças de guerra comercial, UE quer negociar redução de tarifas com os EUA
    China vai introduzir tarifas de US$ 34 bilhões sobre produtos dos EUA
    BMW alerta Trump: Aumento de tarifas pode colocar milhares de trabalhos em risco
    EUA têm direito de impor tarifas aos outros e não sofrer retaliações, diz oficial de Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik