21:30 21 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0310
    Nos siga no

    O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou hoje que o recente ataque da coalizão internacional contra a Síria foi planejado de forma a impossibilitar uma investigar completa e objetivo do uso de armas químicas no país.

    Em entrevista à rede austríaca ORF, o chefe de Estado da Rússia destacou que os especialistas da Organização para a Proibição de Armas Químicas já haviam partido em direção à área a ser investigada quando ataques de mísseis foram realizados contra o território sírio, atrapalhando o trabalho desses profissionais. 

    "Na minha opinião, isso foi o desejo de criar condições [que fariam] uma investigação completa impossível", disse Putin.

    Na madrugada de 14 de abril, aviões e navios das Forças Armadas dos Estados Unidos, junto com as forças aéreas do Reino Unido e da França, efetuaram um ataque de mísseis contra infraestruturas militares e civis sírias, alegando ser uma resposta ao suposto uso de armas químicas, pelas forças de Damasco, na cidade síria de Douma. De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, foram lançados, na ocasião, 103 mísseis de cruzeiro, sendo que grande parte foi interceptada pelos sistemas antiaéreos sírios. 

    Mais:

    Ucrânia acusa Rússia de desenvolver armas químicas para 'guerra híbrida'
    Socorro, Trump! Ex-combatente do exército ucraniano conta como Kiev usou armas químicas
    Presidente sírio refuta acusações sobre uso de armas químicas
    Tags:
    Rússia, Síria, EUA, Áustria, França, Reino Unido, Douma, Vladimir Putin, OPAQ, armas químicas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar