00:42 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Veículos militares norte-coreanos carregando mísseis em Pyongyang (arquivo)

    Washington: política de pressão sobre Pyongyang não acabou

    © Sputnik / Iliya Pitalev / Sputnik
    Mundo
    URL curta
    204

    Os Estados Unidos continuarão sua política de pressão máxima sobre a Coreia do Norte depois da cúpula em Singapura entre o presidente Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong-un, segundo informou hoje a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, em coletiva de imprensa.

    "Nossa política não mudou e, como disse o presidente, as sanções continuam ativas e muito poderosas", disse Sanders, acrescentando que as sanções não serão suspensas "até que a Coreia do Norte seja desnuclearizada".

    O encontro entre os dois chefes de Estado está previsto para o próximo dia 12. Mais cedo, foi revelado que o governo norte-coreano decidiu trocar as três principais autoridades militares do país — ministro das Forças Armadas Populares, chefe do Estado-Maior e o diretor do Departamento Político Geral do Exército Popular da Coreia — antes dessa cúpula, de forma a adaptar o comando militar à recente aproximação com Washington.

    A Casa Branca, por sua vez, decidiu limitar a divulgação de informações sobre suas manobras militares conjuntas com a Coreia do Sul para evitar irritações em Pyongyang, que segue com o seu processo de desnuclearização. 

    Mais:

    Preparação para encontrar Trump? Coreia do Norte troca 3 altos oficiais militares
    Trump quer deixar Coreia do Sul e Japão de fora da reunião com Kim Jong-un
    Que vantagem obteve Ucrânia ao vender segredos militares à Coreia do Norte?
    Kim Jong-un: compromisso de desnuclearizar Coreia permanece inalterado
    Tags:
    Sarah Sanders, Donald Trump, Kim Jong-un, Coreia, Pyongyang, Coreia do Sul, Coreia do Norte, EUA, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik