14:03 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira do grupo xiita libanês Hezbollah (arquivo)

    EUA e países do Golfo adotam sanções contra o Hezbollah

    © flickr.com / upyernoz
    Mundo
    URL curta
    3213

    Os Estados Unidos e seus aliados do Golfo Pérsico adotaram novas sanções contra membros de alto escalão do movimento xiita libanês Hezbollah, incluindo o seu líder, Sayyid Hassan Nasrallah, e o número dois do grupo, Naim Qassem.

    A informação foi divulgada pelo Departamento do Tesouro norte-americano nesta quarta-feira.

    "O Tesouro e sete países membros do Centro de Financiamento e de Alvos do Terrorismo quebram o Hezbollah libanês ao designar membros de seu Conselho Shura e outros em posições de liderança sênior", afirmou o departamento.

    De acordo com as autoridades dos EUA, além de Nasrallah e Qassem, foram alvo das sanções nomes como os de Muhammad Yazbak, Husayn Al-Khalil e Ibrahim al-Amin al-Sayyid, conforme a Ordem Executiva (E.O.) 13224, que persegue terroristas e aqueles que prestam apoio a terroristas ou atos de terrorismo. Fora esses, também foram incluídos na lista outros indivíduos e entidades ligadas ao Hezbollah. 

    "O TFTC [Centro de Financiamento e de Alvos do Terrorismo] demonstrou novamente seu grande valor para a segurança internacional ao interromper a influência desestabilizadora do Irã e do Hezbollah na região. Ao visar o Conselho Shura do Hezbollah, nossas nações rejeitaram coletivamente a falsa distinção entre a chamada 'Ala Política' e a conspiração terrorista global do Hezbollah", disse o secretário do Tesouro, Steven T. Mnuchin, citado na nota.

    Mais:

    Hezbollah: Ataque de míssil da semana passada foi resposta à agressão de Israel na Síria
    Hezbollah nega explosão em instalação militar iraniana na Síria
    Próximos alvos? Ataque à Síria é recado para Irã e Hezbollah, diz ministro israelense
    Hezbollah lança game sobre luta contra o Daesh na Síria
    Tags:
    Hezbollah, Naim Qassem, Hassan Nasrallah, Steven Mnuchin, Líbano, Golfo Pérsico, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik