06:17 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Secretário-geral da ONU, António Guterres, participa de uma coletiva em Ramallah, Cisjordânia

    Secretário-geral da ONU reconhece retorno da Guerra Fria

    © REUTERS / Mohamad Torokman
    Mundo
    URL curta
    302
    Nos siga no

    O secretário-geral da ONU, António Guterres, reconheceu, em entrevista ao canal SVT, os problemas estruturais do Conselho de Segurança e afirmou que a Guerra Fria retornou.

    "Fica claro que a Guerra Fria voltou", afirmou.

    Enquanto isso, o secretário-geral assinalou que a situação atual é bem diferente da época da URSS.

    "Agora os EUA e a Rússia já não controlam tudo, como era antes. Muitos países tornaram-se muito ativos no que se refere à região [do Oriente Médio]: a Turquia, o Irã, a Arábia Saudita e outros. Não existem dois blocos homogêneos que controlam tudo", frisou.

    Além disso, Guterres reconheceu os problemas estruturais do Conselho de Segurança da ONU. Ele assinalou que o órgão deixou de refletir o equilíbrio de poderes no mundo e já não corresponde à realidade atual. Segundo Guterres, certos países abusam do direito de veto. 

    Contudo, Guterres acredita que uma reforma completa será impossível sem introduzir alterações no funcionamento do Conselho de Segurança. O secretário-geral admitiu também a incapacidade da ONU de regular o conflito sírio.

    Os EUA vêm insistindo em levar a cabo uma reforma da ONU. De acordo com representantes da Casa Branca, a organização gasta cada vez mais dinheiro enquanto tem perdido sua eficácia. Anteriormente, o presidente russo, Vladimir Putin, também reconheceu a necessidade de reformar a ONU. Porém, o líder russo assinalou que as mudanças devem ter o apoio da maior parte da comunidade internacional. 

    Mais:

    ONU: Caminho está aberto para desnuclearização na Coreia do Norte
    Ataques dos EUA na Síria não ajudam a construir a paz, diz enviado da ONU
    Rússia na ONU: Grã-Bretanha está destruindo provas do 'caso Skripal'
    Tags:
    reforma, problemas, Guerra Fria, ONU, António Guterres
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar