16:42 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    General aposentado da Infantaria da Marinha e Secretário de Defesa norte-americano, James Mattis

    Mattis: Trump não precisa de autorização do Congresso para atacar Síria

    © REUTERS / Mike Blake
    Mundo
    URL curta
    741

    O presidente dos EUA, Donald Trump, tem todo o direito de atacar Síria e não precisa da aprovação do Congresso para isso, disse nesta quinta-feira o Secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, ao discursar no Comitê das Forças Armadas da Câmara de Representantes.

    "No âmbito do Artigo 2, senhor, o presidente possui o direito de acionar o exército", disse Mattis ao responder a pergunta dos presentes.

    "Existem as resoluções para autorizar o poder militar, existem outros atos legislativos que nós fazem vir até vocês, como vocês sabem, com relatórios. Ao mesmo tempo, eu acho acho que estamos munidos de autoridade para lidar com isso", destacou o chefe do Pentágono.

    No entanto, o ministro afirmou que a decisão de atacar Síria ainda não foi tomada.

    "Ainda não decidimos nada sobre um ataque militar contra a Síria", afirmou Mattis.

    "Quando eu sair daqui, vou para reunião com o Conselho de Segurança Nacional, onde discutiremos isso e prepararemos várias opções para o presidente", concluiu o secretário.

    O dia em que Trump ouviu conselhos de anjo e demônio
    © Sputnik / Vitaly Podvitsky
    O dia em que Trump ouviu conselhos de anjo e demônio

    Mais:

    Ataque contra Síria é uma questão de tempo, mas EUA avisarão Rússia, opina analista
    Saiba como a Rússia pode repelir um ataque dos EUA contra a Síria (FOTOS)
    Ocidente não dá ouvidos à informações dos militares russos sobre situação na Síria
    Trump: 'Nunca disse quando aconteceria um ataque contra Síria'
    Merkel: Alemanha não participará das possíveis ações militares contra Síria
    Submarinos, radares e aviões: Rússia se prepara para possível ataque estadunidense à Síria
    Tags:
    Congresso dos EUA, James Mattis, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik