23:27 20 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Donald Trump, presidente dos EUA, à esquerda, e Emmanuel Macron, presidente da França, à direita, durante uma conferência em Paris.

    França e EUA prometem 'resposta dura' ao suposto ataque químico na Síria

    © Sputnik / Irina Kalashnikova
    Mundo
    URL curta
    2249

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente da França, Emmanuel Macron, concordaram em coordenar uma resposta conjunta ao suposto uso de armas químicas na Síria, segundo informou a Casa Branca após conversas tpor telefone entre os dois líderes.

    No sábado (7), vários meios de comunicação, citando militantes sírios, acusaram Damasco de usar armas químicas na cidade de Duma, no leste da Ghouta, na Síria. O conselheiro de segurança interna de Trump, Tom Bossert, disse no domingo que não descartou ações militares contra o governo sírio em conexão com os relatórios.

    "O presidente Donald J. Trump falou hoje com o presidente Emmanuel Macron, da França. Ambos os líderes condenaram veementemente os terríveis ataques com armas químicas na Síria e concordaram que o regime de Assad deve ser responsabilizado por seus contínuos abusos aos direitos humanos. Eles concordaram em trocar informações sobre o assunto e coordenar uma resposta dura e conjunta", disse a Casa Branca.

    No domingo (8), 9 dos 15 membros do Conselho de Segurança da ONU conclamaram a convocação de uma reunião de emergência para discutir relatos sobre o suposto uso de armas químicas na Síria. A reunião deve ser realizada na segunda-feira (9).

    Para o mesmo dia, a Rússia convocou uma reunião à parte do Conselho de Segurança da ONU para discutir ameaças à paz e a segurança internacional.

    Mais:

    EUA exigem acesso ao local de suposto ataque químico na Síria
    Após suposto ataque químico, base aérea síria é atingida por mísseis
    Rebeldes começam a deixar cidade síria de Douma em troca da libertação de reféns
    EUA querem provocar Moscou com declaração sobre Síria, diz parlamentar russo
    Trump promete que culpados 'pagarão caro' pelo ataque químico na Síria
    Tags:
    Guerra da Síria, Conselho de Segurança da ONU, Emmanuel Macron, Donald Trump, Estados Unidos, EUA, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik