13:19 19 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin fala à Assembleia Federal da Rússia em 1 de março de 2018

    Putin: Rússia não incentiva e não faz interferência em eleições de outros Estados

    © AFP 2018 / Yuri Kadobnov
    Mundo
    URL curta
    321

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou que Moscou não incentiva e nem realiza interferência nas eleições de outros Estados.

    "Não, nós não encorajamos e não encomendamos [fazer isso]", disse Putin em entrevista ao canal de televisão norte-americano NBC.

    No entanto, ele não excluiu que alguns indivíduos poderiam usar certas ferramentas em outros países e enviar informações relevantes da França, Alemanha, Ásia ou Rússia. "No entanto, isso não tem nada a ver com as autoridades russas", ressaltou Putin. 

    "Então eles não eram russos?", perguntou a repórter Megan Kelly, referindo-se a quem, de acordo com a inteligência americana, interferiu nas eleições nos Estados Unidos.

    "Então está bem, [eram] russos, mas não eram funcionários do governo. São 146 milhões russos. E esntão?", argumento o presidente russo.

    Putin havia declarado anteriormente que os russos acusados ​​de interferir nas eleições não representavam as autoridades russas.

    O promotor especial Robert Muller acusou 13 cidadãos russos e três entidades legais pela tentativa de interferir nas eleições nos Estados Unidos. 

    O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, ao comentar a alegada interferência de Moscou nas eleições nos EUA, na França e na Alemanha, apontou que não há quaisquer evidências para provar isso.

    Mais:

    Pentágono revela quando Rússia superará poder dos EUA na Europa
    Sanções dos EUA podem custar até US$ 4 bilhões à Rússia, diz porta-voz
    Pentágono: sistema de defesa antimíssil dos EUA é incapaz de enfrentar Rússia
    Brasil não considera sanções dos EUA em projetos com a Rússia, diz secretário
    Tags:
    interferência, eleições, Vladimir Putin, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik