18:43 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras chinesas e norte-americanas

    EUA desrespeitam a América Latina, diz diplomacia chinesa

    © AP Photo / Ng Han Guan, Pool
    Mundo
    URL curta
    Viagem de Tillerson à América Latina (6)
    28394

    Pequim acusou Washington de desrespeitar a América Latina após o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, alertar a região de uma suposta dependência excessiva do comércio com a China.

    Falando antes de embarcar para suas visitas a México, Argentina, Peru, Colômbia e Jamaica, Tillerson afirmou que Pequim está usando sua economia para atrair a América Latina para sua órbita de influência. O secretário de Estado dos EUA também insinuou que um golpe militar pode solucionar a crise da Venezuela. 

    O Ministério da Relações Exteriores da China disse por meio de comunicado que a cooperação com a América Latina é baseada em interesses comuns e necessidades mútuas.

    "O que os Estados Unidos disseram é inteiramente contra a verdade e exibiu desrespeito ao vasto número de países latino-americanos", disse a nota da chancelaria chinesa.

    Pequim destacou que seu comércio com a região segue todas as regras internacionais e locais. 

    Durante reunião com a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) em janeiro, o chanceler chinês, Wang Yi, convidou os 33 países membros do bloco para sua mais destacada iniciativa comercial, a "Nova Rota da Seda".

    Ainda nesta semana, o mais alto diplomata do Tesouro dos EUA, David Malpass, acusou a China de favorecer o "mau governo" do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, por meio de empréstimos pagos por meio do petróleo de Caracas.

    Desde 2007, a China emprestou mais de US$ 50 bilhões à Venezuela.

    Tema:
    Viagem de Tillerson à América Latina (6)

    Mais:

    Coreia do Norte fatura US$ 200 milhões com exportações; China é o maior parceiro comercial
    EUA defenderão estratégia nuclear visando ameaças de Rússia e China
    China realiza teste de míssil 'assassino de porta-aviões' estadunidense
    Analista aponta 3 razões para o apoio da China ao Afeganistão
    Além da Rússia e China, quem mais pode concorrer com EUA?
    Tags:
    CELAC, Rex Tillerson, Wang Yi, Nicolás Maduro, Venezuela, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik