03:41 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Fumo sobe após ataque aérea durante luta entre membros das Forças Democráticas Sírias e militantes do Estado Islâmico em Raqqa, Síria, 15 de agosto, 2017

    Síria faz apelo à ONU para impedir que países usem a força contra Damasco

    © REUTERS / Zohra Bensemra
    Mundo
    URL curta
    Turquia lança ofensiva contra Afrin (65)
    9122
    Nos siga no

    A Síria fez um apelo ao Conselho de Segurança nesta quinta-feira para impedir que outros países, como a Turquia, usem a força contra Damasco, agindo fora do direito internacional.

    "A Síria pede ao Conselho de Segurança da ONU para impedir que outros países usem a força, em violação do direito internacional, recorrerem à lei para justificar seus atos de agressão e interpretá-lo de acordo com seus critérios, que contradizem a base da Carta" da ONU, diz o comunicado, citado pela agência SANA.

    A diplomacia síria enviou duas cartas, uma ao Conselho de Segurança da ONU e outra ao secretário-geral da ONU, nas quais denuncia que a Turquia continua divulgando falsas informações "nas quais ninguém acredita mais, tentando justificar sua agressão militar" na Síria.

    A Turquia lançou a operação Ramo de Oliveira em 20 de janeiro, em meio às crescentes tensões entre Ancara e Washington. Os EUA iniciaram recentemente a formação de uma força de segurança na fronteira síria, a ser constituída inclusive por combatentes das Forças Democráticas da Síria (FDS), apoiadas pelos militantes das Unidades de Proteção Popular (YPG).

    Tema:
    Turquia lança ofensiva contra Afrin (65)

    Mais:

    Presidente francês adverte Turquia contra 'invasão' da Síria em meio à operação em Afrin
    Por que operação turca em Afrin não será 'passeio fácil' para Ancara
    Aviões turcos teriam atingido alvos no Iraque em meio à operação em Afrin
    Forças Democráticas Sírias relatam ataques aéreos turcos contra barragem em Afrin
    Tags:
    força, operação, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Afrin, Síria, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar