00:44 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O Kremlin de Moscou

    Moscou: novas sanções dos EUA não vão afetar empresas russas

    © Sputnik / Aleksei Druzhinin/Anton Denisov
    Mundo
    URL curta
    890
    Nos siga no

    O ministro da Energia da Rússia, Aleksandr Novak, declarou neste sábado (27) que a ampliação das sanções dos EUA contra a Rússia deve ser estudada, mas destacou que é improvável que elas afetem o trabalho das empresas russas.

    "Nossas empresas têm que avaliar isso, mas elas estão trabalhando nestas condições desde 2014 e vemos que as sanções não afetam as atividades de nossas empresas, mas apenas criam problemas adicionais para o desenvolvimento das relações mútuas entre nossos dois países e empresas", disse Novak, respondendendo sobre o possível impacto das sanções impostas na última sexta-feira contra as empresas russas.

    Ele lembrou que por vários anos as sanções restringiram a cooperação de empresas russas de petróleo e gás no campo da extração de reservas e outras áreas. "Ou sejam, eles duplicaram as sanções anteriores", disse Novak.

    Além disso, ele enfatizou que não pode dizer se haverá ações de retaliação por parte da Rússia. 

    "As sanções só criam oportunidades adicionais para o desenvolvimento da indústria doméstica. Por outro lado, as sanções são lamentáveis […]Elas não criam a base para o desenvolvimento do mercado, da concorrência, contradizem as regras da OMC", concluiu o ministro.

    Os Estados Unidos adicionaram 21 pessoas e nove entidades da Rússia à sua lista de sanções por conta da crise ucraniana na última sexta-feira (26).  

    Entre os sancionados, estão o vice-ministro russo da Energia, Andrei Cherezov, e o chefe de um departamento do ministério, Yevgeny Grabchak. 

    Mais:

    Moscou: sanções dos EUA irão apenas prejudicar suas próprias empresas
    Rússia diz que não precisa respeitar as sanções dos EUA contra Coreia do Norte
    EUA ampliam sanções contra Rússia por conta da crise ucraniana
    Tags:
    energia, empresas russas, sanções, Aleksandr Novak, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar