16:48 20 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras nacionais dos EUA e da China

    China teria executado pelo menos 20 espiões americanos graças a um agente duplo na CIA

    © AP Photo / Andy Wong
    Mundo
    URL curta
    13224

    O suspeito de atuar como agente duplo é um ex-oficial da Agência Central de Inteligência (CIA), que foi preso em 15 de janeiro, acusado de guardar de forma ilegal em seu computador informações confidenciais, relacionadas à defesa nacional.

    Um grupo de trabalho conjunto do FBI e da CIA, que investiga o caso do ex-oficial de inteligência preso e acusado de trabalhar como agente duplo para a China, concluiu que graças aos vazamentos de Jerry Chun Shing Lee, o governo do país asiático obteve os códigos de comunicação clandestina da CIA com seus espiões e usou esse conhecimento para prender e executar pelo menos 20 agentes a serviço do governo dos EUA, informou a emissora NBC News.

    Alguns funcionários e ex-funcionários das agências de inteligência norte-americanas manifestaram, sob a condição de anonimato, suspeitas de que a China compartilhou essas informações confidenciais com a Rússia e pensam que ela pode ter sido usada para revelar, prender e até mesmo assassinar espiões americanos.

    O ex-funcionário da CIA, Jerry Chun Shing Lee, ou 'Zhen Cheng Li', de 53 anos, foi preso em 15 de janeiro, acusado de guardar de forma ilegal informações confidenciais, relacionadas à defesa nacional.

    Lee é considerado suspeito de ajudar a sabotar as operações de inteligência dos EUA em solo chinês e de colaborar para a identificação de agentes norte-americanos.

    Mais:

    Suspeito de espionar para a CIA, russo é preso em Moscou
    CIA: 'Wikileaks é um serviço de inteligência hostil apoiado pela Rússia'
    CIA gastou em vão milhões de dólares para treinar gatos espiões
    Ex-agente da CIA revela ameaças aos EUA da nova Estratégia de Segurança Nacional
    Tags:
    agente da CIA, espionagem, FBI, CIA, Zhen Cheng Li, Jerry Chun Shing Lee, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik