17:14 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Cidade Velha de Jerusalém

    Assembleia Geral da ONU rejeita o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel

    © AFP 2018 / Thomas Coex
    Mundo
    URL curta
    A aventura da capital de Israel (89)
    272111

    A Assembleia Geral da ONU aprovou, com 128 votos a favor, 9 contra e 35 abstenções, a resolução que rejeita a decisão dos EUA de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

    A decisão, votada nesta quinta-feira durante uma sessão extraordinária do órgão, reitera que qualquer decisão sobre Jerusalém não tem efeito e deve ser revogada.

    A resolução também condena as medidas adotadas pelo presidente norte-americano, Donald Trump, de transferir a embaixada dos EUA de Tel Aviv para Jerusalém. No entanto, a posição das Nações Unidas não deve afetar os planos de Washington, como já adiantou a representante permanente dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley.

    ​"Quando realizamos contribuições generosas para a ONU também temos expectativas legítimas de que a nossa boa vontade será reconhecida e respeitada", disse Haley. A diplomata acrescentou que os EUA "se lembrarão dessa votação", e que ela afetará a percepção que os americanos têm da ONU.

    No início da semana, Haley já tinha dito que os países contrários aos EUA serão "anotados". Já o presidente Trump ameaçou suspender todo e qualquer apoio financeiro dos países que votarem a favor da resolução que critica a decisão de Washington.

    Tema:
    A aventura da capital de Israel (89)

    Mais:

    Erdogan: 'EUA não podem comprar o voto da Turquia' para reconhecer Jerusalém
    EUA vai cortar ajuda bilionária a países que votarem contra decisão sobre Jerusalém
    Por que EUA vetaram resolução da ONU sobre Jerusalém?
    Opinião: palestinos tencionam alargar 'frente' de luta na questão de Jerusalém
    14 votos a 1: EUA vetam resolução da ONU contra decisão de Trump sobre Jerusalém
    Tags:
    Assembleia Geral da ONU, ONU, Nikki Haley, Jerusalém, Israel, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik