16:18 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Entrevista coletiva da representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova

    Moscou retaliará expansão norte-americana de sanções antirrussas, diz chancelaria

    © Sputnik / Evgenya Novozhenina
    Mundo
    URL curta
    4170

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia prometeu responder com retaliação à expansão das sanções dos Estados Unidos.

    A representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova, afirmou que a ampliação das medidas antirrussas é grotesca e que a Rússia responderá sem dúvidas à expansão da lista de Magnitsky.

    "Parece grotesco, pois não condiz com a realidade. Infelizmente, outra vez temos que reiterar nossa posição, segundo a qual vai haver uma retaliação", disse a representante oficial em um briefing.

    Ela acrescentou que a Rússia "está prestes […] a cooperar com os Estados Unidos por achar ser certo este caminho".

    "É triste que alguns políticos norte-americanos ainda queiram evidentemente seguir um caminho de destruição das relações bilaterais, continuando com jogos de sanções", disse, acrescentando que tal posição parece curiosa perante desafio e ameaças comuns, tanto para os dois países como para o mundo.

    Em 20 de dezembro, os EUA adicionaram à lista de sanções Magnitsky cinco cidadãos russos, inclusive o líder da Chechênia, Ramzan Kadyrov. Ramzan Kadyrov comentou ironicamente sua inclusão na lista de Magnitsky. O líder checheno chamou a decisão de Washington de outra "medalha" norte-americana, afirmando que não vai aos EUA mesmo em troca de todo dinheiro do país.

    Em dezembro de 2012, os EUA adotaram a "Lei Magnitsky". A lei prevê sanções pessoais em relação aos responsáveis pela proteção dos direitos humanos na Rússia. As autoridades russas, por sua vez, repetidamente declararam sobre a inadmissibilidade da politização do caso Magnitsky, referente ao empresário russo Sergei Magnitsky, morto em prisão russa em novembro de 2009.

    Tags:
    EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik