11:19 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Piloto russo no aeródromo de Hmeymim na Síria

    Parlamentar revela que 'herança militar' a Rússia deixará na Síria após a guerra

    © Sputnik/ Dmitry Vinogradov
    Mundo
    URL curta
    3240

    O vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Yury Shvytkin, indicou que forças a Rússia deixará na Síria após o fim do conflito.

    "Planeja-se deixar ali as duas nossas bases militares, bem como o Centro para a Reconciliação. Aconteça o que acontecer, planeja-se que estas três instalações fiquem na Síria", afirmou o parlamentar.

    Shvytkin acrescentou que a cooperação entre a Rússia e a Síria, inclusive nos campos militar e social, continuará depois da saída das tropas russas do país árabe, pois Moscou não exclui a possibilidade de "incursões de diversos grupos do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia).

    Ao mesmo tempo, o presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho de Federação (câmara alta do parlamento russo), Viktor Bondarev, disse que, após a derrota dos terroristas, as tropas sírias, apoiadas pela Força Aeroespacial russa, serão responsáveis por manter a ordem no país.

    No fim de novembro, o presidente russo Vladimir Putin declarou, durante uma reunião com seu homólogo sírio Bashar Assad, que a operação militar na Síria se aproxima do fim.

    De acordo com o vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação, Frants Klintsevich, as declarações de Putin indicam que a operação militar será concluída antes do fim do ano. "Mas ainda é cedo para falar da retirada das Forças Armadas da Rússia. É necessário consolidar o sucesso e limpar o país das minas", acrescentou.

    De acordo com o senador, o contingente da aviação e das tropas terrestres russas será reduzido.

    Atualmente, Moscou tem no país árabe duas grandes instalações militares: a base aérea de Hmeymim e a base naval militar de Tartus, na costa do mar Mediterrâneo.

    Mais:

    Salvar a face: para que EUA querem se apropriar da vitória da Rússia na Síria
    Pentágono nega derrota de Daesh para poder ficar na Síria
    Tags:
    combate ao terrorismo, Forças Armadas da Rússia, Força Aeroespacial da Rússia, Viktor Bondarev, Bashar Assad, Vladimir Putin, Frants Klintsevich, Tartus, Hmeymim, Rússia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik