13:23 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0250
    Nos siga no

    O vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Yury Shvytkin, indicou que forças a Rússia deixará na Síria após o fim do conflito.

    "Planeja-se deixar ali as duas nossas bases militares, bem como o Centro para a Reconciliação. Aconteça o que acontecer, planeja-se que estas três instalações fiquem na Síria", afirmou o parlamentar.

    Shvytkin acrescentou que a cooperação entre a Rússia e a Síria, inclusive nos campos militar e social, continuará depois da saída das tropas russas do país árabe, pois Moscou não exclui a possibilidade de "incursões de diversos grupos do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia).

    Ao mesmo tempo, o presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho de Federação (câmara alta do parlamento russo), Viktor Bondarev, disse que, após a derrota dos terroristas, as tropas sírias, apoiadas pela Força Aeroespacial russa, serão responsáveis por manter a ordem no país.

    No fim de novembro, o presidente russo Vladimir Putin declarou, durante uma reunião com seu homólogo sírio Bashar Assad, que a operação militar na Síria se aproxima do fim.

    De acordo com o vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação, Frants Klintsevich, as declarações de Putin indicam que a operação militar será concluída antes do fim do ano. "Mas ainda é cedo para falar da retirada das Forças Armadas da Rússia. É necessário consolidar o sucesso e limpar o país das minas", acrescentou.

    De acordo com o senador, o contingente da aviação e das tropas terrestres russas será reduzido.

    Atualmente, Moscou tem no país árabe duas grandes instalações militares: a base aérea de Hmeymim e a base naval militar de Tartus, na costa do mar Mediterrâneo.

    Mais:

    Salvar a face: para que EUA querem se apropriar da vitória da Rússia na Síria
    Pentágono nega derrota de Daesh para poder ficar na Síria
    Tags:
    Síria, Rússia, Hmeymim, Tartus, Frants Klintsevich, Vladimir Putin, Bashar Assad, Viktor Bondarev, Força Aeroespacial da Rússia, Forças Armadas da Rússia, combate ao terrorismo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar