13:14 20 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo norte-americano, Donald trump, durante a cúpula da APEC no Vietnã, 11 de novembro de 2017

    Trump rechaça 'conluio' com a Rússia após confissão de Michael Flynn

    © REUTERS/ Jorge Silva
    Mundo
    URL curta
    330

    Ex-assessor de Trump, Michael Flynn, decidiu cooperar com a investigação sobre a suposta ligação da Rússia com a campanha presidencial republicana e confessou que mentiu ao FBI sobre conversas com o embaixador russo.

    O presidente dos EUA, Donald Trump, em seu primeiro comentário após o seu ex-assessor de Segurança Nacional, Michael Flynn, ter confessado que mentiu ao FBI sobre a suposta interferência russa na campanha eleitoral norte-americana, afirmou que não houve "absolutamente nenhum conluio" entre a Rússia e sua campanha presidencial. 

    Michael Flynn aceitou cooperar com a investigação do conselheiro especial Robert Mueller sobre um possível conluio entre a Rússia e a campanha eleitoral presidencial de Trump em 2016.

    Na última sexta-feira, Flynn confessou ter mentido ao FBI sobre as conversas que teve com o embaixador russo durante a campanha eleitoral de Trump. 

    A Rússia, por sua vez, repetidamente negou qualquer ligação com Trump, com seu comitê ou qualquer influência nas eleições norte-americanas.

    Mais:

    Genro de Trump é pressionado pelo Senado a entregar provas em investigação contra Rússia
    Casa Branca: Trump busca maneiras de trabalhar com a Rússia
    Trump: somente 'tolos e haters' são contra boas relações com a Rússia
    Tags:
    campanha presidencial nos EUA 2016, eleições, interferência, Michael Flynn, Donald Trump, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik