14:56 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Robô de reconhecimento e combate russo Uran-9 (foto de arquivo)

    Imprensa norte-americana está com medo dos robôs russos e chineses

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Mundo
    URL curta
    6244
    Nos siga no

    Os EUA podem perder a corrida tecnológica graças aos robôs e ao uso da inteligência artificial pela Rússia e pela China. Pelo menos é o que pensa o repórter da CNN, Zachary Cohen.

    Ele destacou que Moscou e Pequim perceberam a importância da inteligência artificial para o desenvolvimento da economia e das capacidades de defesa.

    O jornalista citou as palavras do presidente da Rússia, Vladimir Putin, que declarou em 1 de setembro deste ano que a liderança mundial pertencerá ao país que desenvolver a inteligência artificial antes dos outros. O repórter também destacou que o exército russo está desenvolvendo robôs, sistemas de destruição de drones e mísseis de cruzeiro que conseguem avaliar de modo autônomo os dados dos radares e decidir a melhor velocidade e altura para a realização de suas respectivas missões.

    O desenvolvimento de tecnologias similares também foi considerado como prioritário na China, destacou Cohen.

    Por outro lado, segundo um recente relatório do ex-vice-secretário de Defesa dos EUA, Robert Work, os Estados Unidos sofrem por falta de investimento em desenvolvimento e implementação de inteligência artificial. O militar alertou que Washington não possuiu um plano bem definido para caminhar em pé de igualdade com outros países nesse setor, apesar das previsões de que essas tecnologias, em conjunto com o armamento nuclear, aviação, computação e biotecnologia, serão um dos fundamentos da garantia de segurança nacional.

    Mais:

    Inteligência artificial poderá enriquecer chineses
    Inteligência artificial a bordo: saiba o que pode fazer caça Su-35 russo sem piloto
    Executivo do Google alerta: China dominará inteligência artificial até 2030
    De olho na inteligência artificial, Rússia quer criar novas armas até 2025
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar