22:39 28 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    846
    Nos siga no

    Em uma entrevista à mídia japonesa publicada neste domingo (29), o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, afirmou que os países europeus, os países-membros da OTAN, também estão no raio de alcance dos mísseis norte-coreanos.

    Porém, a Aliança Atlântica dispõe de possibilidades e determinação para efetuar um contra-ataque no caso de ações provocadoras, adiantou o alto oficial ao jornal Yomiuri Shimbun.

    "Reconhecemos que a Europa também está no raio de alcance dos mísseis [da Coreia do Norte]. Os países da OTAN também estão sob ameaça… A OTAN tem possibilidades e determinação para realizar um contra-ataque", explicou.

    Ao mesmo tempo, Stoltenberg sublinhou que é preciso aumentar a pressão sobre Pyongyang para incentivá-la a negociar.

    "Precisamos de pressionar mais a Coreia do Norte para a fazermos sentar à mesa das negociações. Apoiamos decididamente as sanções econômicas", destacou.

    Lançamento do míssil balístico de curto alcance sul-coreano Hyunmoo II durante as manobras conjuntas dos EUA e Coreia do Sul
    © AP Photo / Ministério da Defesa da Coreia do Sul
    Apesar da pressão por parte da comunidade internacional, os norte-coreanos continuam desenvolvendo seu programa nuclear e de mísseis. Em 3 de setembro, o país comunicou que tinha efetuado um teste bem-sucedido de uma bomba de hidrogênio, destinada a equipar os mísseis balísticos intercontinentais.

    De acordo com militares japoneses e sul-coreanos, a potência da bomba foi de 160 quilotons, o que é 10 vezes mais que as bombas atômicas lançadas pelos EUA contra as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki em 1945. Este foi o 6º ensaio nuclear de Pyongyang, dado que uma semana antes disso o país tinha testado um míssil balístico que sobrevoou o território japonês.

    Mais:

    Trump: melhoria nas relações entre EUA e Rússia simplificaria crise da Coreia do Norte
    Coreia do Norte testa um novo motor de combustível sólido para mísseis, diz revista
    EUA impõem 'sanções mais severas da história' contra Coreia do Norte
    Tags:
    ameaça, alcance, mísseis balísticos, OTAN, Jens Stoltenberg, Coreia do Norte, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar