07:43 25 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    O lançamento de míssil de médio alcance durante os exercícios na photo publicada pela Agência noticiosa norte-coreana em Pyongyang em 30 de agosto de 2017

    'Irmãos de armas': Pyongyang propõe união de forças a Teerã contra 'injustiça' dos EUA

    © REUTERS / KCNA
    Mundo
    URL curta
    18452

    No domingo (15), Coreia do Norte propôs união de forças à República Islâmica do Irã para "lutar conjuntamente contra as injustiças" dos EUA.

    No âmbito da 137ª Assembleia da União Interparlamentar, realizada na cidade russa de São Petersburgo, o chefe da delegação norte-coreana e vice-presidente da Assembleia Suprema do Povo, Ahn Dong-chun, lançou a proposta durante conversa com o presidente do parlamento iraniano, Ali Lariyani.

    "Nós [Coreia do Norte] temos grande vontade contra os agressores, assim como os senhores [Irã], nós levamos a cabo uma luta há muito tempo", declarou Dong-chun.

    Ao mesmo tempo, ele propôs "lutar juntos contra a injustiça para o bem da justiça".

    A "única opção" de Pyongyang

    Além disso, durante sua manifestação na assembleia, o político norte-coreano destacou que "devido à política hostil dos EUA, o desenvolvimento do programa nuclear é a única opção que tem a Coreia do Norte".

    "Nosso país está sendo ameaçado; a própria existência da Coreia do Norte está em jogo", sublinhou Dong-chun, explicando que o programa nuclear e de mísseis do país asiático "tem carácter dissuasivo, destinado a proteger nossa independência".

    Segundo informa à Sputnik, o chefe da delegação norte-coreana indicou que Pyongyang e Teerã serão "amigos e irmãos de armas durante muito tempo na luta comum".

    Durante a assembleia, o delegado iraniano criticou duramente a política dos EUA, incluindo a decisão do presidente estadunidense, Donald Trump, de não certificar o acordo nuclear histórico iraniano firmado em 2015. Para Lariyani, as decisões de Trump mostram "falta de respeito às Nações Unidas", e "inaptidão" de Washington para cumprir compromissos internacionais.

    Mais:

    Opinião: 'Decisão de Trump sobre acordo com o Irã vai criar caos entre países europeus'
    Estes são os cenários militares que Washington poderia aplicar contra o Irã
    Irã ameaça romper acordo nuclear se sanções forem restauradas
    Preparação para guerra: EUA e Coreia do Sul iniciam exercícios na península da Coreia
    Coreia do Norte poderia ter danificado seu polígono nuclear
    Tags:
    injustiça, programa de mísseis balísticos, esforços, cooperação bilateral, direito internacional, luta, programa nuclear, ONU, Donald Trump, Península da Coreia, Coreia do Norte, Irã, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik