06:13 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Hassan Rouhani, presidente do Irã (foto de arquivo)

    O Irã nunca se curvou e não se curvará à pressão internacional, diz presidente iraniano

    © REUTERS/ Faisal Mahmood
    Mundo
    URL curta
    21333

    O Irá permanecerá no acordo nuclear, desde que ele sirva aos seus interesses nacionais e seu programa de mísseis balísticos se expandirá apesar da pressão dos Estados Unidos, disse o presidente iraniano, Hassan Rouhani, nesta sexta-feira (13).

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que Washington não irá certificar o cumprimento do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), como é conhecido o acordo nuclear iraniano, por parte de Teerã. Desta maneira, o acordo nuclear irá para o Congresso dos Estados Unidos, que poderá modificá-lo. 

    "Se um dia os nossos interesses forem prejudicados, ou se as outras partes se recusarem a cumprir seus compromissos, eles devem saber que o Irã não hesitaria em responder da maneira adequada", disse Rouhani em discurso transmitido pela televisão estatal do Irã. 

    O presidente iraniano também questionou a autoridade de Trump para cancelar o acordo nuclear. 

    "Este é um acordo multilateral internacional, que foi ratificado pelo Conselho de Segurança da ONU. Este é um documento da ONU. É possível que um presidente possa unilateralmente anular este importante acordo internacional?", perguntou Rouhani

    "A nação iraniana nunca se curvou e nunca se curvará perante qualquer pressão internacional… O Irã e o acordo estão mais fortes do que nunca", disse o presidente iraniano, que também classificou a acusação do presidente dos Estados Unidos de que Teerã patrocina o terrorismo como "falsa".

    A decisão de Trump causou fortes reações na comunidade internacional. O ministro da Inteligência de Israel, Israel Katz, chegou a afirmar em entrevista a TV Channel 2 que o discurso de Trump poderia levar a uma guerra.

    O JCPOA estabelece condições para que o programa nuclear iraniano funcione com fins estritamente energéticos e seja monitorado por agências internacionais. O acordo foi assinado em 2015 por líderes dos Estados Unidos, Alemanha, China, França, União Europeia, Rússia e Reino Unido.

    Mais:

    EUA anunciam sua decisão quanto ao acordo nuclear com o Irã
    Poderá Força Aérea do Irã vencer aviões dos EUA em uma guerra?
    Revelada nova estratégia da Casa Branca para conter Irã
    Por que Trump 'nunca vai recorrer a confronto militar' com Irã
    Curdistão: Após ordem de prisão por referendo, Iraque e Irã planejam 'grande ataque'
    Tags:
    Donald Trump, Hassan Rouhani, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik